Take a fresh look at your lifestyle.

147 pacientes embarcaram do Amazonas para outras cidades

Profissionais de saúde abraçam o desafio para salvar vidas

-publicidade-

O trabalho de transferência de pacientes do Amazonas para outros estados se transformou, para os profissionais de saúde, em um desafio diário. Desde a triagem das pessoas aptas a receberem atendimento até o embarque, as equipes do Governo do Amazonas vêm atuando de forma incansável. Na tarde desta quarta-feira (20/01), mais 16 pessoas internadas em hospitais de Manaus foram transferidas para o Rio Grande do Norte.

Desde a última sexta-feira (15/01), os trabalhadores da saúde montaram uma força-tarefa nas unidades para mapear e preparar os pacientes que receberão o atendimento contra a Covid-19 em outro Estado. A meta é levar 235 pacientes e, até a tarde de hoje, 147 pessoas haviam sido transportadas para o Acre, Distrito Federal, Maranhão, Piauí, Paraíba, Rio Grande do Norte, Pará e Goiás.

No Serviço de Pronto Atendimento (SPA) e Policlínica Doutor José Lins, zona centro-oeste, a organização para a saída dos pacientes começou assim que a equipe médica identificou quais deles apresentam condições clínicas para a viagem, obedecendo aos protocolos de segurança.

Depois disso, é preciso entrar em contato com a família e apresentar a proposta. É o que explica a gerente de enfermagem do SPA José Lins, Patrícia Defaveri, profissional que tem atuado na linha de frente de atendimento de pacientes com Covid-19. Além de fazer a triagem das pessoas que embarcam diariamente, ela ressalta a importância das equipes do Governo do Estado em assegurar para a família a urgência do tratamento.

“Às vezes os familiares ficam um pouco apreensivos pelo fato de não irem junto, mas a Secretaria de Saúde está dando esse apoio junto para manter a família toda informada do quadro do paciente e do andamento. Estão fazendo videochamadas para esses pacientes, para eles verem que o paciente está em outro Estado, mas está bem acomodado. Existem alguns relatos dos pacientes que foram, que já estão bem e estabilizados, graças a Deus, se recuperando”, destacou Patrícia.

Depois de sete pacientes transferidos, sendo quatro apenas hoje, a diretora do SPA José Lins, Liege Ribeiro, revela que cada mobilização na unidade é um sentimento coletivo de dever cumprido.

“Eu estou muito feliz porque a equipe toda tem muita garra e determinação. É muito amor por esse trabalho de ajudar, acompanhar todo o trabalho que está sendo feito de mudança com os pacientes e com os próprios familiares. Isso para mim é muito lindo, muito gratificante, ver toda a equipe se empenhando com a mesma finalidade”, comentou.

Como diretora do SPA, Liege acompanha de perto o tratamento dado aos pacientes e diz que, para ela, a mudança representa um “recomeço”. “É um sentimento de esperança, de emoção, vendo as pessoas partirem para uma vida melhor, para recuperar sua vida”, destacou.

Embarque – Cada paciente é levado em ambulâncias escoltadas até o Aeroporto Ponta Pelada, na Base Aérea de Manaus. Lá, eles são aguardados por equipes do Ministério da Saúde, Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) e Força Aérea Brasileira (FAB). Desde a última sexta-feira, os profissionais estão a postos para organizar os voos que saem em diferentes horários.

A especialista em Urgência e Emergência da SES-AM, Neylane Macedo, tem o papel de receber os pacientes no aeroporto antes da ida até outros Estados. Ela integra o grupo de trabalho que faz a última checagem dos acometidos pela Covid-19. Emocionada, ela conta que cada embarque causa uma emoção diferenciada em todos os profissionais envolvidos na retaguarda.

“Como profissional, já tive experiência de estar em várias frentes de trabalho, mas esse momento acho que o maior sentimento é de gratidão em saber que essas pessoas têm uma chance diferenciada, que Deus proporcionou esse momento para elas e a gente também. Nós ganhamos também estando aqui nesse momento, ganha todo mundo”, disse ela.

Gratidão – A professora Elizabeth Melo acompanhou o irmão sendo acomodado na ambulância que saía para o Aeroporto Ponta Pelada. Até surgir a possibilidade de transferência para o Rio Grande do Norte, Elizabeth conta ter sentido uma preocupação, no entanto, ressaltou a importância dos profissionais de saúde em garantir a segurança.

“São profissionais excepcionais. Enfermeiros, médicos, direção. Eles dão esse suporte até para a família e é muito bom, a gente precisa realmente. Eles tratam muito bem nossos pacientes e estão se doando muito aqui. A mesma reciprocidade eu espero que aconteça em Natal e tenho certeza que vai acontecer quando eles receberem nossos pacientes lá”, comentou a professora.

Transferências – Na tarde desta quarta-feira (20/01), mais 16 pacientes foram transferidos de Manaus para o Hospital Universitário Onofre Lopes, em Natal (RN). O voo decolou por volta das 14h, em um avião da FAB. Os pacientes estavam internados nos SPAs São Raimundo, Joventina Dias, José Lins, Zona Sul e no Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto.

Até o momento, 147 pacientes do Amazonas saíram do Estado para receber tratamento em outras capitais.

No dia 15 de janeiro, foram transferidos nove pacientes para o Piauí e 12 para o Maranhão. No mesmo dia, três pacientes do município de Tabatinga foram levados para hospitais de Rio Branco e Cruzeiro do Sul, no Acre.

No dia 16, houve transferência de 11 pacientes para o Maranhão e outros 15 para Brasília.

No dia 17, foram transferidos 15 pacientes para o Estado da Paraíba e 12 para o Rio Grande do Norte.

No dia 18, ocorreu a transferência de 32 pacientes para Goiás. Também foram transferidos dois pacientes de Parintins para o Estado do Pará, por meio do TFD.

No dia 19, mais quatro pacientes de Parintins foram levados para tratamento no Pará e 16 pacientes foram transferidos para o Maranhão.

FOTO: Arthur Castro/Secom

-publicidade-