247 motoristas foram multados por uso de celular ao volante até agosto no Amazonas

Entre janeiro e agosto deste ano, 247 multas de trânsito foram aplicadas a motoristas por conta do uso de celular ao volante em Manaus. Os dados são do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM), que faz um alerta: a infração gravíssima representa um grande risco à segurança de todo o trânsito. No ano passado, foram aplicadas 286 multas pela mesma infração.

A proibição do uso de celular ao dirigir está prevista no Código de Trânsito Brasileiro, no artigo 252, e passou de infração média para gravíssima há dois anos, com multa de R$ 293,47 e sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação. Vale destacar que o CTB prevê como infração média os casos em que o condutor estiver utilizando fones de ouvido e infração gravíssima quando o condutor estiver segurando ou manuseando o telefone celular.

De acordo com a técnica em educação de trânsito do Detran-AM, Delnandina Monteiro, qualquer distração para o motorista – como o uso de celular – pode causar um grave acidente. “As consequências, nestes casos, são danosas. A todo momento em que a pessoa estiver dirigindo, ela precisa dedicar total atenção ao volante”, afirmou.

Riscos – Delnandina destaca também que os motoristas precisam se conscientizar dos riscos ao volante. “É necessário que o condutor adote um comportamento seguro. Não importam as circunstâncias, o uso de celular ao dirigir é proibido”, disse.

Os dados das multas por uso de celular são parciais, já que não incluem os números do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito de Manaus (Manaustrans).

Acidentes com vítimas fatais – O número de acidentes de trânsito com vítimas fatais cresceu 12% entre janeiro e agosto deste ano em comparação ao mesmo período do ano passado. Conforme dados do Instituto Médico Legal (IML), foram 141 ocorrências em 2017 contra 158 em 2018, nos oito primeiros meses.

Segundo o titular da Delegacia Especializada em Acidentes de Trânsito (Deat), delegado Luiz Humberto Monteiro, as infrações como o uso de aparelhos eletrônicos, principalmente de celular, o excesso de velocidade, a falta de equipamentos de segurança e o uso de bebidas alcoólicas estão entre as principais causas de acidentes.

“É uma questão educacional e de consciência dos motoristas. O trânsito é desumano, por isso precisamos ter educação e respeitar as leis. Assim conservamos as vidas”, afirmou Monteiro.

O delegado explica que, em muitos casos, é difícil comprovar a responsabilidade do condutor, já que muitos não assumem seus erros ao dirigir e nem sempre se conseguem provas suficientes. “É muito difícil a comprovação destes casos. Nós precisamos colocar na cabeça das pessoas que descumprir as leis de trânsito é grave e pode matar”, disse.

FOTO: DIVULGAÇÃO