As Principais Notícias do Estado do Amazonas estão aqui!

30 motoristas dirigindo embriagados no fim de semana em Manaus

Durante operação Lei Seca, veículos alternativos também foram fiscalizados

Em operação da Lei Seca, realizada entre a noite de sexta-feira (22/3) e a madrugada desta segunda (25/3), o Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM) flagrou 30 motoristas dirigindo com sintomas de embriaguez. No total, foram realizados 240 testes de alcoolemia durante o final de semana.

As ações foram realizadas em diversas ruas da capital, entre elas: avenida da Torres, zona norte de Manaus; na avenida Autaz Mirim, zona leste; e na avenida do Turismo, zona oeste da capital. No total, foram aplicados 119 autos de infração, 26 veículos foram retidos por diversas irregularidades, sendo 11 carros e 15 motos.

As principais irregularidades flagradas foram condutores dirigindo sem portar Carteira Nacional de Habilitação (CNH), veículos com licenciamento anual em atraso, em mau estado de conservação e motociclistas sem uso de equipamento de segurança (capacete).

Na noite de sábado (23), veículos do transporte público alternativo passaram pela fiscalização. A ação ocorreu na avenida Autaz Mirim, zona leste da capital. Durante as abordagens os agentes de trânsito inspecionaram as condições físicas dos veículos, como pneus e faróis e a documentação dos condutores. Nesse último caso, o objetivo era saber se eles estavam com a documentação do veículo e CNH em dia e aptos a conduzir este tipo de veículo. Os motoristas também foram convidados a realizar o texto do bafômetro.

A fiscalização é realizada em parceria com o Batalhão de Trânsito da Polícia Militar do Amazonas (BPTran). A fiscalização nos veículos de transporte público alternativo é uma reivindicação dos usuários.

Lei seca – A Lei 13.546/17, aprovada em dezembro de 2017, do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), alterada em abril de 2018, estabeleceu mais rigor para o motorista que praticar o homicídio culposo (sem intenção) ou de lesão corporal de natureza grave ou gravíssima, sob o efeito de álcool ou de outras substâncias psicoativas que causem dependência.

Nestes casos, a autoridade policial não poderá mais arbitrar a fiança de imediato, devendo lavrar o auto de prisão em flagrante e comunicá-la ao Judiciário, cabendo ao juiz arbitrar a fiança, o que poderá não ocorrer imediatamente após o momento da prisão. De acordo com o CTB, a penalidade para quem dirige embriagado é de R$ 2.934,70.