Take a fresh look at your lifestyle.

3A bate Rio Negro e fatura Amazonense de Handebol Adulto Feminino

-publicidade-

A experiência venceu a juventude. Na noite da última segunda-feira, 23 de novembro, a Associação Atlético Amazonas, também conhecido como 3A, conquistou o Campeonato Amazonense de Handebol da categoria Adulto Feminino de 2020 ao superar o Rio Negro na decisão por 32 a 28. A partida aconteceu no ginásio do Rio Negro, no Centro de Manaus.

Para chegar ao título inédito, o 3 A contou com contribuição de uma atleta de 43 anos, a pedagoga Márcia Melo Castilho. Eleita com justiça a melhor goleira do campeonato, ela teve uma noite inspirada, se transformando num paredão diante das adversárias. Foi gigante e fez mais de 20 defesas difíceis. A meia esquerda Andressa também brilhou, com gols e liderando a parte técnica e psicológica do Atlético Amazonas.

Ao final da jornada, o técnico Odivaldo Marques comentou sobre o feito histórico. O Rio Negro buscava o tetracampeonato do Amazonense Feminino e tinha um grupo bem mais jovem, com destaque para a artilheira da competição, Nora, e a craque Kellem. O placar, porém, desta vez foi favorável à experiência do 3 A.

“As meninas estão no handebol há muito tempo. Para vocês terem uma ideia, a mais nova tem 32 anos, então é um time bastante experiente. Tem também a Andressa, que se destaca e tem 24 anos, mas é a única. Essas meninas são de gerações passadas, do auge do handebol amazonense”, comentou o técnico.

O comandante do 3 A revelou que existia uma frustração por parte do seu grupo, que vinha chegando às decisões, mas não conseguia fechar com chave de ouro a competição. Desta vez, entretanto, a história foi escrita de uma forma diferente.

“Mérito do Rio Negro ter sido campeão nos três últimos anos, mas era meio que uma frustração nossa, porque apesar da experiência a gente estava perdendo para a juventude, e hoje o handebol cedeu para a juventude. Parabenizo muito as meninas pelo esforço, porque elas são mães de família, têm emprego e dedicam um pouquinho do tempo delas para o handebol que elas amam tanto. Com dedicação e disciplina sai o resultado positivo, o mérito é todo delas”, disse o professor campeão.

Na história – O 3 A foi campeão com as seguintes atletas: Márcia, Sandra, Rosenilda (Tica), Selma (Teca), Niandria, Diene, Andressa, Fernanda, Maria Elisa, Larissa, Kamila, Wanessa, Rosália, Hilderly, Elindreia, Amanda, Helena, Christina e Adriany (não jogou a final). A comissão técnica vencedora: Odivaldo Marques (técnico), Railson Queiroz (auxiliar técnico) e Marcelo Pardo (psicólogo).

Santa Etelvina em terceiro – A rodada também teve a disputa da medalha de bronze. E deu a Liga de Santa Etelvina, que superou a equipe do Zezão pelo placar de 35 a 25.

Patrocinadores e apoiadores

Até o final de 2020, todas as competições da Liga de Handebol do Amazonas (LIHAM) têm patrocínio das seguintes empresas: Uninorte/Ser Educacional, Samel Planos de Saúde, Ceprodonto Odontologia Integrada, Ótica e Oficina Cássio, Academia Spazio, Dra. Karine Thiara (Fisioterapia, Quiropraxia e Acupuntura), BM Ferragens, Material Elétrico, Hidráulico e de Construção, B2 Funilaria Express, Contrology Studio de Pilates, Centro de Treinamento de Voleibol LV, Marcelo Pardo (Psicólogo) e Amazonas English Academy (AEA).

Os apoiadores são: Kempa (a bola oficial da LIHAM), Meca Gráfica Rápida, Handcola (cola para handebol), Fundação Amazonas de Alto Rendimento (Faar), Atlético Rio Negro Clube, Confederação Brasileira de Handebol (CBHb), Tribunal de Justiça Desportiva do Amazonas (TJD-AM) e Emanuel Sports & Marketing (assessoria de imprensa).

Texto: Emanuel Mendes Siqueira

Foto: Emanuel Mendes Siqueira

-publicidade-