A importância de participar da Normalização

Tirando os técnicos, que geralmente estão mais envolvidos com as normas técnicas, existe um esforço muito grande para que a sociedade em geral participe mais de todo o processo de normalização.

Muitas pessoas acham que isso é restrito, porém a ABNT trabalha arduamente para divulgar e disseminar que é de suma importância a participação de todos. Sem contar que a participação nos Comitês Brasileiros é voluntária, então por que não participar?

Participar do processo de Normalização é contribuir e defender os interesses da sociedade. A maioria dos Comitês Brasileiros faz parte em Comitês internacionais da ISO, por exemplo, e essa representatividade é fundamental para que possamos garantir e defender o posicionamento e interesses do nosso País.

Através da participação na normalização internacional, importantes contribuições estão sendo prestadas à economia nacional e à eliminação de barreiras não-tarifárias ao comércio mundial. Para o Brasil ser competitivo no cenário internacional, é essencial que algumas normas e práticas brasileiras sejam aceitas e incorporadas às normas internacionais e regionais. Estas normas estão, com frequência crescente, sendo integralmente adotadas como normas nacionais pelos países ou estão sendo utilizadas como base para normas nacionais e sistemas de certificação e inspeção. Desta forma, além de podermos defender os interesses do comércio, defendemos e atendemos também os interesses e necessidades da sociedade em geral.

São vários os representantes brasileiros que lideram grupos de trabalho nos organismos internacionais de normalização.

Recentemente foi publicada a Norma Internacional ISO 20611 – Turismo de aventura – Boas práticas de sustentabilidade – Requisitos e recomendações, desenvolvida no âmbito do grupo de trabalho ISO/TC 228 – WG 7 – Adventure Tourism, que atualmente é coordenado pelo brasileiro Leonardo Persi, da Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (Abeta).

Outro caso que podemos destacar é a Comissão de Estudo de Plataformas e Serviços de Aplicativos Distribuídos (CE-021:000.038), estabelecida em 2011, tem acompanhado as reuniões internacionais do subcomitê JTC 1/SC 38 Cloud Computing and Distributed Platforms há mais de 7 anos. Foi contribuidora ativa durante a produção das duas normas fundamentais de computação em nuvem, ISO/IEC 17888 – Visão Geral e Vocabulário, já adotada no Brasil e ISO/IEC 17789 – Arquitetura de Referência, em avaliação para adoção. O foco do acompanhamento de trabalhos internacionais é voltado para os trabalhos relativos ao fluxo de dados no ambiente de nuvem, em razão da crescente importância do tratamento e privacidade de dados nos dias de hoje. O reconhecimento do trabalho da comissão resultou na indicação de seu coordenador, Fernando Gebara Filho, como convenor do WG 5 – Data in cloud computing and related technologies desde 2015, tendo iniciado em 2018 seu segundo mandato de três anos.

Existem diversos outros trabalhos internacionais acontecendo com essa presença brasileira, por isso é tão importante que cada vez mais as pessoas se conscientizem que fazer parte da Normalização é contribuir para o desenvolvimento nacional. Para verificar quais são os Comitês Brasileiros em atividade, acesse o nosso Portal (www.abnt.org.br) e na aba Normalização clique em Comitês Técnicos. Identificando o Comitê de interesse, envie um email ao analista responsável para saber as datas das reuniões.

Sobre a ABNT

A ABNT é o único Foro Nacional de Normalização, por reconhecimento da sociedade brasileira desde a sua fundação, em 28 de setembro de 1940, e confirmado pelo Governo Federal por meio de diversos instrumentos legais. É responsável pela elaboração das Normas Brasileiras (NBR), destinadas aos mais diversos setores. A ABNT participa da normalização regional na Associação Mercosul de Normalização (AMN) e na Comissão Pan-Americana de Normas Técnicas (Copant) e da normalização internacional na International Organization for Standardization (ISO) e na International Electrotechnical Commission (IEC).
Desde 1950, a ABNT atua também na área de certificação, atendendo grandes e pequenas empresas, nacionais e estrangeiras. A ABNT possui atualmente mais de 400 programas de certificação, destinados a produtos, sistemas e verificação de gases de efeito estufa, entre outros. A sociedade identifica na Marca de Conformidade ABNT a garantia de que está adquirindo produtos e serviços em conformidade, atendendo aos mais rigorosos critérios de qualidade. A ABNT Certificadora tem atuação marcante nas Américas, Europa e Ásia, realizando auditorias em mais de 30 países.

Compartilhe