Mulheres e homens se beneficiam da cirurgia plástica para garantir a barriga negativa

As pessoas com peso corporal e proporções normais podem ter um abdômen frouxo e flácido, devido a gravidez, envelhecimento, oscilações no peso, hereditariedade e cirurgia prévia.

As mulheres, assim como os homens têm interesse pela Abdominoplastia, tanto que esta cirurgia plástica está entre as mais procuradas. É indicada para quem possui grande quantidade de pele e de gordura além do normal, na região abdominal.

Geralmente, são pessoas que trazem um excesso de flacidez por predisposição genética, que sofrem do efeito sanfona com períodos alternados de aumento e diminuição de peso e mulheres com histórico de partos múltiplos, esclarece a Dra. Edith Horibe, cirurgiã plástica, PhD pela Faculdade de Medicina da USP, expoente em Cosmiatria e Envelhecimento bem-sucedido.

Para a médica, as mulheres estão sempre de olho nas novidades que possam dar adeus aos “pneuzinhos” e “pochetes” e ficar com a barriga sarada. “O abdômen é a região do corpo que mais acumula gordura, daí a dificuldade em alcançar os resultados. “Os excessos de gordura e pele levam muitas pessoas a buscarem essa cirurgia plástica para acabar com a gordura que a atividade física não consegue resolver”, afirma.

A médica ressalta que essa cirurgia plástica não deve ser realizada por mulheres que desejam engravidar em breve, pois provoca uma grande dilatação do abdômen e afastamento dos músculos, por isso recomenda-se que a mulher aguarde, pelo menos, seis meses depois do parto para fazer a Abdominoplastia.

É uma cirurgia que não visa o emagrecimento e só pode fazê-la quem estiver saudável e relativamente em forma, e isso vale tanto para as mulheres como para os homens.

A Dra. Edith Horibe conta que logo após a cirurgia já se percebe o abdômen mais rígido, mas o resultado final só é notado após acabar o inchaço e a região cicatrizar, entre três a seis meses. E a volta às atividades após a cirurgia é de 21 a 30 dias.

Para os cuidados pós-operatórios deve-se iniciar sessões de drenagem linfática já nos primeiros dias, para melhorar o inchaço, usar cintas no mínimo 40 dias, para evitar acúmulos de líquidos e favorecer o desinchaço, além de não tomar sol e não realizar esforços físicos por no mínimo um mês. A musculação abdominal deve ser evitada por dois meses.

Além de uma alimentação saudável, depois da alta médica, o ideal é sempre praticar exercícios aeróbicos, como caminhada, corrida, natação, hidroginástica, bicicleta, etc. e alongamentos antes e após as atividades.

Para a gordura não voltar é fundamental apostar em alimentos saudáveis, como arroz integral, farelos de trigo, cereais e pães integrais, iogurte, legumes, verduras, frutas, carnes magras a exemplo dos peixes, principalmente o salmão e o atum. E as dicas são: ingerir bastante água no dia, mastigar devagar os alimentos e dividir a alimentação de cinco a seis refeições diárias.

E quem opta por fazer a Abdominoplastia no inverno, o pós-operatório é mais tranquilo, afinal o inverno é o período ideal para a realização de cirurgias plásticas. O frio colabora para um menor edema na região operada e se a pessoa estiver em férias, melhor ainda, para um repouso mais tranquilo.

“Uma outra vantagem é que quem opera no inverno poderá aproveitar melhor o verão, frequentar as praias e piscinas com um corpo sarado”, enfatiza a Dra. Edith Horibe.

Dá para ficar com a barriga sequinha e dar adeus aos indesejáveis pneuzinhos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here