Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

Abrigo Emergencial para a população de rua completa três meses proporcionando novas perspectivas

Espaço coordenado pela Sejusc oferece cursos profissionalizantes, emissão de documentação básica, entre outros serviços

O Abrigo Emergencial Temporário, voltado à população em situação de rua, completa três meses de atividades nesta terça-feira (25/05). Inaugurado pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), o espaço foi criado para proteger esse público durante a pandemia do novo coronavírus, causador da Covid-19.

Funcionando 24 horas, o local conta atualmente com 81 pessoas acolhidas. Todas entraram de forma voluntária após passar por triagem médica e social. Ao todo, 176 chegaram a ficar abrigados no decorrer dos três meses de atividades. Desses, 83 deixaram o local; cinco retornaram para as famílias, após ação da equipe social; seis foram reinseridos no mercado de trabalho e saíram da situação de rua; e um retornou para o município de origem.

De acordo com a secretária Mirtes Salles, titular da Sejusc, desde que assumiu a pasta, em janeiro deste ano, o governador Wilson Lima determinou como prioridade proteger os públicos em risco social.

“O governador Wilson Lima vem mostrando o comprometimento com a população que mais necessita durante toda gestão. No abrigo, essas pessoas contam com a estrutura do Governo e com o trabalho de OSCs [Organizações da Sociedade Civil] parceiras. Estamos conseguindo ajudá-los com cursos profissionalizantes, palestras, atividades sociais, culturais, entre outras. O Governo está fazendo a diferença na vida deles”, disse a gestora.

Linha de frente – O gerente de Políticas à População em Situação de Rua da Sejusc, Edney de Souza, explicou que, ao longo dos 90 dias, as equipes técnicas vêm realizando atendimentos básicos e essenciais para essa população que conta com várias demandas, como pendências de documentação civil e acompanhamento médico.

“Nós conseguimos atender mais de 170 pessoas ao longo desses três meses. Alguns voltaram [para as ruas], outro retornou ao município de origem, outros voltaram à convivência familiar, outros foram encaminhados para um novo trabalho. Fizemos o cadastro no Sine [Sistema Nacional de Emprego] com mais de 40 deles; também no Cadastro Único [CadÚnico] para programas sociais, com mais da metade desse público; solicitamos e conseguimos obter a documentação civil dos acolhidos”, relembrou Edney.

Parceiros – Os trabalhos no Abrigo Emergencial contam com o apoio de secretarias estaduais e municipais, além de OSCs que desenvolvem atividades há anos com o público em situação de rua.

Do Estado, além da Sejusc, o espaço conta com os serviços das secretarias de Assistência Social (Seas); de Saúde (SES-AM); de Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti); de Cultura e Economia Criativa; e Executiva do Trabalho e Empreendedorismo (Setemp); além do Centro de Educação e Tecnologia do Amazonas (Cetam) e da Defensoria Pública do Amazonas. Do município, o abrigo tem apoio da secretaria da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc); e de Saúde (Semsa).

As OSCs parceiras são Comunidade Católica Nova e Eterna Aliança, Desafio Jovem de Manaus, Centro de Formação Vida Alegre, Movidos pelo Amor e Nacer. Também conta com ação do Serviço Social do Comércio (Sesc/AM).

Mais detalhes – O Abrigo Emergencial tem capacidade para até 150 pessoas, seguindo todas as especificações e protocolos de segurança estabelecidos pelo Ministério da Saúde e por organismos internacionais como a Organização Mundial da Saúde (OMS).

O abrigo conta com dez estruturas de tendas, abrangendo 800m², tendo dormitórios masculino, feminino e família; refeitórios; vestiários e banheiros químicos e para banho; além de espaço destinado ao asseio de roupas e pertences individuais.

FOTO: Raine Luiz/Arquivo Sejusc

-publicidade-