As Principais Notícias do Estado do Amazonas estão aqui!

Adaf imuniza mais de 800 mil animais na segunda etapa da campanha ‘Amazonas sem Febre Aftosa’

Autarquia imunizou 96,64% do rebanho bovino e bubalino, o equivalente a 891.283 animais, durante a segunda fase da iniciativa

A Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf), imunizou 96,64% do rebanho amazonense durante a segunda etapa da campanha “Amazonas sem Febre Aftosa”, ocorrida nos meses de julho, agosto e novembro do ano passado. Ao todo, 891.283 animais foram vacinados, envolvendo 14.883 propriedades rurais em todo o estado. De acordo com a Adaf, 15.889 produtores rurais do Amazonas declararam que imunizaram seu rebanho contra febre aftosa junto a autarquia.

“Representa o trabalho realizado pelo produtor rural e pelo Estado do Amazonas, por meio da Adaf e da assistência técnica do Idam, realizando a divulgação da campanha e promovendo as informações necessárias para que o produtor possa ter seu rebanho imunizado, adquirindo a vacina, vacinando e declarando junto a Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas”, destacou o diretor-presidente da Adaf, Alexandre Araújo.

Em 2018, na segunda da campanha, a Adaf imunizou 849.305, atingindo um índice vacinal de 96,81% do rebanho.

Rebanho do Amazonas – Ainda segundo a agência, após o encerramento da campanha, a Adaf identificou o aumento do rebanho amazonense, que passa a ser de 1.562.081. Em 2018, o rebanho equivalia a 1.489.894. Houve um aumento de mais de 72 mil animais de 2018 para 2019.

“O que ocasionou o aumento da vacinação da segunda etapa da campanha foi a atualização de cadastros de propriedades rurais que estavam sob domínio de outros Estados e passaram a ser movimentadas pelo Estado do Amazonas”, comentou a coordenadora do Programa de Prevenção e Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA), Joelma Silva.

Nesta etapa, somente animais de zero a 24 meses foram vacinados contra febre aftosa, exceto os municípios de Boca do Acre e Guajará, que seguem com o calendário de vacinação do Estado do Acre e vacinam animais de todas as idades. Em 2019, na primeira etapa da campanha, ocorrida nos meses de março, abril e maio, foram vacinados 1.191.142, o que corresponde a 97% do rebanho envolvido na campanha.

“Podemos afirmar que o índice excelente de 96,64%, atingido agora na segunda etapa de imunização contra febre aftosa, representa o comprometimento do produtor em manter o seu rebanho sadio, cumprindo com a etapa de vacinação de febre aftosa. Sendo assim, estamos nesse momento anunciando dados bastante satisfatórios tanto para os produtores quanto para o Estado do Amazonas e para o PNEFA, o Programa Nacional de Erradicação de Febre Aftosa”, comentou o diretor-presidente.

Calendário de vacinação – No Amazonas, o calendário de vacinação da campanha “Amazonas sem Febre Aftosa” é dividido em duas etapas. Em 41 municípios que compõem a Calha do Rio Amazonas, bovinos e bubalinos são vacinados nos períodos de 15 de março a 30 de abril e de 15 de julho a 31 de agosto. Nos demais 21 municípios, o calendário de vacinação ocorre nos meses de maio e novembro. Nas etapas de julho, agosto e novembro são vacinados animais de zero a 24 meses.

Status sanitário – O Amazonas é livre de febre aftosa com vacinação desde 2018 e caminha para evoluir para o status sanitário livre de febre aftosa sem vacinação a partir de 2021, com a previsão da suspensão da vacina a partir deste ano.

A meta da Adaf é retirar a vacinação contra a febre aftosa inicialmente nos municípios de Apuí, Boca do Acre, Canutama, Eirunepé, Envira, Guajará, Humaitá, Ipixuna, Itamarati, Lábrea, Manicoré, Novo Aripuanã, Pauini e parte de Tapauá, que detém 1.020.096 animais, representando 65% do rebanho total do Amazonas.

Os benefícios que a retirada da vacinação contra febre aftosa irão oportunizar aos produtores rurais do Estado do Amazonas abrangem a valorização dos rebanhos, com a abertura de novos mercados nacionais e internacionais e a sustentabilidade da atividade agropecuária.

FOTO: Divulgação/Adaf