Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

ADS completa 18 anos de contribuição para o desenvolvimento econômico do Amazonas, nesta sexta-feira (11/06)

A Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS), completa 18 anos nesta sexta-feira (11/06). Com aproximadamente 150 servidores, a pasta do Governo do Amazonas vem trabalhando desde 2003 com foco no desenvolvimento sustentável fundamentado no respeito e obediência às questões ambientais, na segurança alimentar e nutricional da população rural e urbana, na agregação de valores aos produtos primários in natura e industrializados, no apoio ao fomento e comercialização da produção rural nas cadeias produtivas dos setores agropecuário, pesqueiro, extrativo (madeireiro e não madeireiro) e mineral.

O órgão foi criado pela Lei Delegada de nº 118, de 18 de maio de 2007, que alterou a denominação e os objetivos que já estavam sendo executados há quatro anos através da Agência de Agronegócios do Estado do Amazonas (Agroamazon), vinculada à Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror).

A ADS, no entanto, passou a ser responsável por realizar o papel de agente catalisador das negociações entre os agricultores familiares, produtores rurais, pescadores, extrativistas e suas organizações (associações e cooperativas), empresários do setor primário (agroindústrias), e os mercados consumidores privados e governamentais, viabilizando assim, a interação comercial entre o setor produtivo rural e o mercado consumidor.

Há três meses à frente da pasta pública, a presidente da ADS, Michelle Bessa, relatou que a Agência vem tomando proporções cada vez maiores no interior do estado e na capital, e destacou que o órgão tem sido essencial para o setor primário nos últimos anos, principalmente aos produtores da agricultura familiar.

“A Agência tem sido fundamental para o desenvolvimento de um setor primário forte, a partir do fomento à atuação integrada e articulada que vem sendo realizada com muito empenho por nós, juntamente com o sistema Sepror. Por meio do Governo do Estado, em todo o Amazonas, vem sendo possível ajudar nossos produtores rurais eliminando diretamente a presença do atravessador, levando assim, emprego e renda para essas famílias”.

A ADS é responsável por executar as Feiras de Produtos Regionais, o Programa de Regionalização da Merenda Escolar (Preme), o Programa de Regionalização de Mobiliário Escolar (Promove), o Balcão de Agronegócios e as subvenções da borracha, fibras naturais (piaçava, juta e malva) e do pirarucu, a Doação Onerosa de aeradores para elevar a produção das pisciculturas e além das embalagens sacos e caixas para agricultura. Devido à pandemia de Covid-19, foi criado o Programa de Assistência Familiar (PAF), que tem como objetivo ajudar as famílias de produtores e demais pessoas credenciadas nos órgãos estaduais.

Programas – De 2017 ao primeiro semestre de 2021, as feiras que já eram muito conhecidas pelos consumidores, ganharam uma nova roupagem, garantindo mais conforto aos produtores e clientes. A iniciativa que atualmente possui dez edições em Manaus, movimentou, neste período, um total de R$ 47.707.534,14 na venda de 17.334 toneladas de alimentos, beneficiando mais de 2 mil produtores.

No interior, foram beneficiados mais de 3 mil agricultores de 22 municípios, com a movimentação de R$ 18.546.942,77 milhões em recursos na venda de pouco mais de 5,1 mil toneladas de produtos.

Por meio do Preme, de 2019 a 2021, foram executados R$ 37.292.825,45 em recursos na aquisição de mais de 5 mil toneladas de alimentos regionais. A iniciativa beneficiou direta e indiretamente mais de 25 mil produtores em dois anos. Atualmente, foram credenciados 1.041 agricultores de 51 municípios do estado, que poderão fornecer cerca de 51 tipos de alimentos para estudantes das escolas públicas.

Durante o mesmo período, o programa Promove atendeu aproximadamente 5 mil famílias de moveleiros de 20 municípios. No total, foram confeccionados 18.400 móveis.

No período de 2017 a 2021, o programa Balcão de Agronegócios realizou a venda intermediada de 9.632.423 quilos de alimentos de mais de 30 municípios, atendendo mais de 80 iniciativas entre cooperativas e associações. A atividade movimentou R$ 15.947.980,70.

FOTO: Divulgação/ADS

-publicidade-