Take a fresh look at your lifestyle.

Agricultor é preso por importunação sexual e estupro de vulnerável em Santa Isabel do Rio Negro

-publicidade-

A 76ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Santa Isabel do Rio Negro cumpriu, nesta segunda-feira (25/01), por volta das 9h, mandado de prisão preventiva de um agricultor, de 31 anos, pelos crimes de importunação sexual e estupro de vulnerável, que teve como vítimas duas enteadas dele. O crime ocorreu entre os anos de 2010 e 2020, naquele município.

De acordo com o delegado Aldiney Nogueira, titular da unidade policial, um relatório do Conselho Tutelar Municipal afirmava que duas enteadas haviam sido abusadas sexualmente pelo padrasto, entre os anos de 2010 a 2020, porém elas não se sentiam seguras para realizar a denúncia sobre o crime. Segundo Nogueira, uma delas informou que só teve coragem de denunciar após a filha dela, uma menina de seis anos, também ser abusada pelo infrator.

“Demos início às investigações e descobrimos que os abusos iniciaram quando a mãe delas passou a se relacionar com o homem. Naquela época, em 2010, as meninas tinham 6 e 12 anos. Em relação à vítima mais recente, que é filha de uma das anteriores, o delito foi consumado no mês de setembro do ano passado”, detalhou o delegado.

Conforme a autoridade policial, após serem colhidos todos os depoimentos, foi realizado um interrogatório com o autor e imediatamente solicitado à Justiça pelo mandado de prisão em nome dele, a ordem judicial foi expedida no dia 15 de janeiro deste ano, pela Comarca de Santa Isabel do Rio Negro.

“O Inquérito Policial (IP) sobre o caso foi concluído e encaminhado para a Justiça. Durante o interrogatório, ele confessou a prática de todos os delitos e admitiu ter praticado os abusos sexuais da filha de uma das enteadas”, relatou o titular da 76ª DIP.

Procedimentos – O indivíduo responderá pelos crimes de importunação sexual e estupro de vulnerável. Ao término dos procedimentos cabíveis, ele permanecerá custodiado na carceragem da unidade policial à disposição da Justiça.

FOTO: Divulgação/ PC-AM.

-publicidade-