Amazonas Notícias

Agroindustrial Serra Verde já produz derivados da soja com incentivos fiscais da Suframa

Texto: Isaac Júnior

Fotos: Divulgação e Suframa/Divulgação

Menos de três horas após realizar a abertura da “1ª Jornada de Integração Regional e Interiorização do Desenvolvimento em Roraima”, a Suframa realizou uma visita técnica à empresa agroindustrial Serra Verde, na tarde desta terça-feira (18), em Boa Vista. O empreendimento, que teve projeto aprovado em 2021 pela Suframa, foi fundado no mesmo ano numa área de 300 mil metros quadrados localizada às margens da BR-174, com R$ 150 milhões de investimento e voltado para a produção de derivados da soja.

Desde o ano passado, a Serra Verde tem trabalhado no esmagamento da matéria-prima, por meio de tecnologia moderna, com capacidade de esmagar até mil toneladas por dia e refinar outras 250 toneladas de óleo, também diariamente, o correspondente a 2 milhões de litros de tancagem de óleo, produzindo 770 toneladas dia de farelo e armazenando até 9 mil toneladas de farelo de soja.

A ida até Serra Verde fez parte da programação do evento que começou nesta terça-feira em Boa Vista, e a Suframa foi representada pelo superintendente Bosco Saraiva; o superintendente-adjunto Executivo da Autarquia, Luiz Frederico de Aguiar; e o coordenador da Área de Livre Comércio de Boa Vista e Bonfim (RR), Jandirocy Teixeira. Esta foi a primeira visita de um superintendente ao local, após a aprovação do projeto da indústria na localidade. “Isso significa dizer que a Suframa está interiorizando o desenvolvimento dos incentivos fiscais. Essa fábrica vai atender à demanda de todo o mercado do Norte do Brasil, especialmente da Amazônia Ocidental brasileira e Amapá. Vai ser a primeira grande fábrica de óleo de soja e de bagaço de soja que serve para ração animal de uma infinidade de produtores na região, e que já começou a ser extendido para exportação, principalmente para países do Caribe. Isso mostra que temos muito a oferecer, não apenas para Manaus, mas para todos os estados que compõem a área de abrangência da Suframa”, destacou o superintendente Bosco Saraiva.

Para executar o desenvolvimento da cadeia produtiva de proteína animal, no extremo Norte do Brasil, a empresa gera 150 empregos diretos e 2,2 mil e  empregos indiretos, além de atender ao mercado nacional e internacional com o mais alto padrão de qualidade.

PET

Em 2023, a Serra do Sol deu início ao refino e envase em garrafas PET para a produção de 6 milhões de garrafas de óleo por mês, no intuito de agregar valor à produção agrícola e garantir segurança alimentar de forma sustentável, diante da cadeia produtiva do agronegócio e ao Estado de Roraima.

Relacioandos