As Principais Notícias do Estado do Amazonas estão aqui!

Alerta! Importantes para a defesa do organismo, glândulas suprarrenais podem desenvolver nódulos que exigem investigação minuciosa

Nódulos não funcionantes são maioria e são caracterizados por não produzirem hormônios

Componentes do sistema endócrino, as glândulas suprarrenais, também conhecidas como adrenais, estão localizadas acima dos rins e, ao longo do tempo, podem desenvolver nódulos, os quais têm pelo menos quatro denominações diferentes: funcionantes, não funcionantes, benignos (adenomas) ou malignos – nesse último caso, o câncer se divide em primário ou metastático -, explica o cirurgião urologista da Urocentro Manaus, Dr. Giuseppe Figliuolo. De acordo com ele, 5% da população, em média, apresenta esse tipo de alteração.

As glândulas suprarrenais possuem cerca de cinco centímetros de diâmetro e são divididas em duas partes: a externa, chamada de córtex, e a central, denominada medula. Cada uma delas com função diferente no organismo. A primeira sintetiza hormônios essenciais ao processo metabólico. A segunda é responsável pela produção de adrenalina e noradrelina, conhecidas como catecolaminas (CAs). Elas ajudam a ativar os mecanismos de defesa do corpo humano.

Figliuolo destaca que os nódulos não funcionantes são maioria e são caracterizados por não produzirem hormônios. São os que apresentam maior facilidade de tratamento. Nos demais casos, pode haver indicação de adrenalectomia (remoção cirúrgica de uma ou ambas as glândulas suprarrenais).

A detecção dos nódulos nas glândulas se dá através de exames de imagem, tais como ressonância magnética e tomografia computadorizada. Se for notado que o nódulo é composto, em sua maior parte, de gordura, não há indícios de câncer. Caso seja mais denso, é recomendada uma biópsia (retirada de fragmento para análise patológica), que apontará ou descartará o diagnóstico de neoplasia maligna.

Giuseppe Figliuolo afirma que nos tipos funcionantes, não funcionantes e benignos, o tratamento é feito com o uso de medicamentos, hormônios, e através de acompanhamento médico periódico, para avaliar se há ou não a evolução da alteração e se há a necessidade futura de cirurgia para a remoção das glândulas.

“A maioria dos casos não é câncer. Há muitos casos assintomáticos, em que os nódulos são descobertos durante a investigação de outras patologias. No entanto, também há ocorrências de nódulos que, em função do tamanho, ocasionam dores abdominais e na região das costas, muito similares às de indivíduos que têm cálculos renais. Cabe ressaltar que, à exceção dos casos malignos, os demais não apresentam grandes chances de evoluírem para um câncer”, explicou.

Ainda de acordo com o especialista, o carcinoma (tipo de câncer) originado do córtex da suprarrenal é considerado raro

Distúrbios

Os distúrbios ocasionados à produção de hormônios nas glândulas suprarrenais podem ser: Doença de Addison, Síndrome de Cushing e o Feocromocitoma – este último, originado da medula.

você pode gostar também