Exposição contou com 30 projetos de Iniciação Científica Junior (IC/JR) de 11 escolas da capital

Estudantes da rede pública estadual de ensino apresentaram na manhã de quinta- feira (6) os resultados de projetos de Iniciação Científica Júnior (IC/JR), desenvolvidos por meio do Programa Ciência na Escola (PCE). A exposição aconteceu no Hall de Galerias da sede da Secretaria de Estado de Educação e Qualidade de Ensino (Seduc), localizada no bairro Japiim, zona sul de Manaus.

A mostra contou com a exposição de 30 projetos de 11 escolas públicas da capital, todos executados por estudantes do ensino fundamental e médio.

O PCE é uma ação do Governo do Amazonas por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), em parceria com a Seduc e Semed, que incentiva a aproximação da ciência no ambiente escolar a partir do envolvimento de professores e estudantes de escolas públicas estaduais e municipais em projetos de pesquisa científica e tecnológica.

Neste ano, o programa investiu R$ 2,5 milhões para apoiar a execução de 540 projetos. Desse número, 200 foram desenvolvidos na capital e 340 no interior do Estado.

Segundo a coordenadora institucional do PCE pela Seduc, Simara Couto, a iniciativa é para mostrar e divulgar os resultados dos projetos científicos desenvolvidos ao longo do ano.

“O programa já existe há mais de 14 anos, com muito significado para os professores que executam os projetos e também para os alunos que aprendem através da pesquisa. O PCE faz com que os estudantes sejam autônomos e protagonistas de seus próprios trabalhos”, contou.

Para a gerente do Departamento de Acompanhamento e Avaliação (Deac) da Fapeam, Aline Lauria, o PCE é um programa que a Fundação tem muito carinho, principalmente por atingir diretamente os jovens da educação básica.

“É uma inciativa que a Fapeam tem muita dedicação, pois é um trabalho que desperta a vocação científica nos jovens descobrindo talentos para o futuro do nosso Estado. A Fundação fomentando esses projetos contribuirá com a melhoria do ensino interagindo os alunos com a ciência, gerando futuros pesquisadores para nossa região”, disse.

Exposição – Um dos trabalhos apresentados durante a mostra foi a “Realidade Virtual em sala de aula como base para a aprendizagem contextualizada e significativa” desenvolvido na Escola Estadual de Tempo Integral Professor Djalma da Cunha Batista, no bairro Japiim, zona sul de Manaus. No projeto os alunos desenvolveram um óculo de realidade virtual com materiais artesanais para aprimorar as aulas de forma tecnológica, a partir dos conceitos de letramento digital.

Para a estudante Isabela Ramos, do 8º ano ensino fundamental II, a tecnologia está envolvida em tudo até mesmo no processo educacional. Ela explica que o projeto tem o intuito de adicionar a realidade virtual na sala de aula.

“Antes de participar do projeto eu não era muito ligada à tecnologia e quando entrei no PCE aprendi que por meio da tecnologia podemos desenvolver atividades de várias disciplinas. Tudo isso ajudou no meu aprendizado”, contou.

Outro projeto desenvolvido foi “Conscientização da Eficiência Energética aos Consumidores de Energia Elétrica na Comunidade Escolar do Colégio Brasileiro Pedro Silvestre”, que tem a finalidade de conscientizar a população da comunidade escolar a respeito do uso eficiente de energia enquanto consumidores de energia elétrica.

“A ideia é mostrar para as pessoas a importância da utilização de placas de led para economizar energia e conscientizá-las de que isso um dia venha a ser uma grande fonte de energia renovável a custo zero”, disse o cientista junior Gabriel Tavares.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here