As Principais Notícias do Estado do Amazonas estão aqui!

Alunos de escola estadual no Cidade Nova organizam 1ª Mostra da História Mundial do Teatro

O projeto da Escola Estadual Roberto Santos Vieira nasceu a partir de uma aliança entre teoria e prática e envolveu alunos do ensino médio

Uma das mais antigas manifestações artísticas foi destaque na 1ª Mostra de História Mundial do Teatro, da Escola Estadual Roberto dos Santos Vieira, localizada no bairro Nova Cidade, zona norte de Manaus. Os estudantes do turno vespertino organizaram uma série de peças teatrais e demonstraram, em ordem cronológica, a história mundial do teatro.

Na ocasião, estiveram envolvidos 320 alunos do 1º ano do ensino médio. A mostra foi dividida em 8 temas: o teatro grego, romano, medieval, renascentista, brasileiro, popular, de animação e também o regional.

Na Escola Estadual Roberto Santos Vieira, o projeto nasceu a partir de uma aliança entre teoria e prática, onde a pesquisa histórica deu vazão à elaboração de releituras e vivência de manifestações teatrais inseridas no passado e no presente, dando a devida relevância a esses fenômenos e suas relações.

Prática – Professor e idealizador do projeto, Ezequias Roland, destacou a iniciativa como uma tentativa de que os estudantes apresentassem o conteúdo pesquisado na prática. “Eles fizeram uma releitura do contexto teatral pesquisado, usando a fala cartazes, maquetes, além ainda de experimentação prática, releituras de peças clássicas como ‘Lisístrata’ (Aristófanes) e ‘Romeu e Julieta’ (Shakespeare)”, explicou.

A experiência de mobilização da arte em espaços de convivência escolar é que mais se destaca com o projeto. “Nosso objetivo é mostrar que dá pra fazer mais com o pouco que temos e ainda queríamos deixar explícito que precisamos de espaços melhorados, que possam auxiliar no desenvolvimento humano em cada um desses alunos”, enfatiza.

Experiência – Para a estudante Nyck Smith Rodrigues, 16 anos, que participou da peça teatral “A grande torre”, o projeto torna a pesquisa mais estimulante e o trabalho em grupo essencial para a formação da feira. “A experiência foi ótima, a socialização com o grupo foi fundamental para a formação de um todo, ainda tivemos a oportunidade de mostrar o teatro para as pessoas que ainda não tinha tido acesso a esta arte”, conta.

Já João Victor Baraúna dos Santos, 16 anos, que compôs a equipe de apresentação da Mostra, afirma que, mesmo com algumas dificuldades em trabalhar em coletivo, o resultado foi engrandecedor. Trabalhar em grupo foi um pouco difícil, mas, no momento certo nos unimos e conseguimos nos ajudar, visto que espetáculo não podia parar”, disse.

FOTO: AUGUSTO ANTONACCIO

você pode gostar também