Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

-publicidade-

Álvaro Campelo cobra flexibilização do transporte de passageiros e denuncia dificuldade de locomoção no Estado

Em decorrência do que aconteceu em Carauari (distante 788 quilômetros em linha reta da capital) no último final de semana, quando uma embarcação com 120 passageiros foi impedida de atracar no porto do município, o deputado Álvaro Campelo (Progressistas), fez um apelo ao Governo do Estado, durante Sessão Plenária na manhã desta terça-feira (03), pedindo a flexibilização do transporte intermunicipal de passageiros, levando em consideração a dificuldade de locomoção dos munícipes entre uma cidade e outra, principalmente, os que estão em tratamento de saúde na capital amazonense.

Segundo o parlamentar, a flexibilização se faz necessária, observando todas as exigências sanitárias, tendo em vista o alto custo de uma passagem aérea para os municípios da região. “Essas pessoas, que saída têm se não for o transporte fluvial? Uma passagem aérea de Carauari para Manaus custa R$ 1.500,00 (mil e quinhentos reais). Qual é a pessoa do interior do estado que vai ter condição de arcar com essa despesa? Portanto, faço esse apelo à Secretaria de Saúde do Estado, para que possa flexibilizar o decreto com regras rígidas, observando todos os protocolos estabelecidos de combate à Covid”, afirmou Álvaro Campelo.

O deputado pediu, ainda, bom senso e humanidade das autoridades locais para aliviar a dor e a angústia das pessoas que já sofrem em consequência da pandemia. “A população do interior do estado não pode continuar do jeito que está agora. No caso de Carauari, a Prefeitura poderia ter tido o bom senso de não deixar aquelas pessoas como ficaram, totalmente à deriva, abandonadas e sem apoio por mais 3 dias. Em momento algum se pode deixar de verificar a situação de crianças, idosos, mulheres grávidas e de pessoas com deficiência, que estavam naquele barco”, ressaltou o parlamentar.

Marcejane Rodriques, uma das passageiras, afirmou que havia em torno de 23 crianças (4 de colo), 5 idosos e duas grávidas na embarcação. “Tem uma senhora que é deficiente visual, que fez uma cirurgia em Manaus, e tem um senhor que fez uma cirurgia, retirou um rim”. Segundo Marcejane, os passageiros tiveram que fazer uma “vaquinha” para não faltasse alimento na embarcação. “Nós juntamos dinheiro e o dono do barco, que tem uma lancha, vai até o porto de Juruá comprar comida e água”, disse. A Prefeitura de Juruá doou frango e outros alimentos básicos como farinha, macarrão e arroz.

De acordo com a Secretaria de Saúde do Município de Carauari, os passageiros ao desembarcarem no porto da cidade, foram submetidos a testes da Covid-19. Das 120 pessoas que estavam na embarcação, houve 73 negativos, 05 positivos, transmitindo e 13 positivos fora de transmissão (curados). Todos os passageiros ficarão em isolamento por 15 dias em um local cedido pela Prefeitura.

-publicidade-