Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

Amazonas – Custo da construção sobe 2,37% em novembro e acumula alta de 9,47% em 2020

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), divulgado hoje (8) pelo IBGE, subiu 2,37% em novembro, no Amazonas, a segunda maior alta do ano, inferior apenas a alta de outubro, quando a variação foi de 2,73%. De janeiro a novembro, o índice acumula aumento de 9,47% e nos últimos 12 meses a alta chega a 9,80%. O custo médio por metro quadrado da construção civil, no Amazonas, aumentou de R$ 1.224,58, no mês de outubro, para R$ 1.253,62, no mês de novembro. No Brasil, o custo médio foi de R$ 1.252,10, em novembro.

A variação positiva de 2,37%, em novembro, foi menor do que a registrada em nível nacional, que somou 1,82%, a maior alta do ano e a maior variação desde a desoneração da folha, em julho de 2013. O resultado do mês, no Amazonas, tem relação com a parcela dos materiais, que registrou alta de 4,0%.

Amazonas apresentou o sexto maior reajuste entre as unidades da federação

A variação de 2,37% da construção civil do Amazonas, observada em novembro, em relação ao mês anterior, posicionou o Amazonas na sexta posição entre as outras unidades da federação com maior reajuste. Os menores índices foram os dos estados do Maranhão, com 0,56%, Mato Grosso, com 0,68% e Rio Grande do Norte, 0,86%; e os maiores foram os dos estados de Goiás, com 3,34%, Bahia, com 2,93% e Rio Grande do Sul, com 2,79%.

Custo dos materiais de construção puxou o aumento em novembro, e o custo da mão de obra manteve-se estável

No Amazonas, o índice da Construção Civil apresentou o custo médio de R$ 1.224,58, em outubro, e passou para R$ 1.253,62, em novembro. A elevação dos custos foi influenciada pela parcela dos materiais de construção, que cresceu 4,0%, no Amazonas, e acelerou a alta já registrada em outubro e setembro. No Estado, o custo médio do material de construção, por metro quadrado, aumentou de R$ 711,59, em outubro, para R$ 740,64, em novembro.

Já a parcela de mão de obra, por metro quadrado, tem se mantido estável. O custo médio foi de R$ 512,98, em novembro, mantendo-se praticamente igual a outubro (R$ 512,99) e a setembro (R$ 513,10).

Custo da construção no Amazonas é o 11º maior, entre as unidades da federação

O custo médio da construção civil no Amazonas, de R$1.253,62, posicionou o Estado em uma posição intermediária (11ª), em relação às outras unidades da federação. Os menores custos apresentados foram os de Sergipe (R$ 1.101,62), Rio Grande do Norte (R$ 1.106,31) e Alagoas (R$ 1.133,38); e os maiores, os de Santa Catarina (R$ 1.417,38), Acre (R$ 1.383,16) e Rio de Janeiro (R$ 1.375,94).

Amazonas tem o quinto maior custo de materiais de construção

O custo médio do material de construção no Amazonas, de R$740,64, posicionou o Estado com o quinto maior custo, em relação ao apresentado pelas demais unidades da federação. Os menores custos de material foram observados no Espírito Santo (R$ 633,33), Rio Grande do Norte (R$ 641,05) e Sergipe (R$ 643,74); e os maiores custos, no Acre (R$ 811,18), Distrito Federal (R$ 753,91) e em Rondônia (R$ 750,22).

Custo da mão de obra no Amazonas está entre os menores do país

O custo médio da mão de obra no Amazonas, de R$512,98, foi o 20º no ranking das unidades da federação. Os menores custos de mão de obra foram os de Sergipe (R$ 457,88), Rio Grande do Norte (R$ 465,26) e Alagoas (R$ 473,73); os maiores custos, os de Santa Catarina (R$ 700,03), Rio de Janeiro (R$ 698,81) e São Paulo (R$ 644,38).

-publicidade-