As Principais Notícias do Estado do Amazonas estão aqui!

Amazonas é o estado da Região Norte que mais gasta com cultura, revela IBGE

Após anos em queda, a participação da cultura no orçamento do Governo e do Município cresceram em 2018. As despesas com cultura do Governo do Amazonas (132.287.000 reais) representam 5,3% dos gastos totais do país; e as despesas dos municípios amazonenses (116.140.000 reais) representam 2,5% dos gastos totais dos municípios. No ano anterior (2017), as despesas com cultura representaram 3,9% dos gastos do Governo e 1,7% dos gastos dos municípios. O aumento da participação da cultura nas despesas governamentais do Amazonas vai na contramão dos resultados em âmbito nacional, que tiveram queda em diversas esferas. Os resultados fazem parte do Sistema de Informações e Indicadores Culturais (SIIC) 2019, divulgados nesta quinta (5), pelo IBGE.

O Sistema de Informações e Indicadores Culturais – SIIC traz cruzamentos de dados de diversas pesquisas do IBGE, incluindo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios contínua (PNADc) e a Pesquisa de Orçamento Familiar (POF). A edição traz, por exemplo, o número de organizações, pessoal ocupado e salário médio das pessoas que trabalham com atividades relacionadas à cultura; análise dos gastos das famílias com produtos culturais; análise socioeconômica da população ocupada no setor e o acesso a equipamentos culturais e meios de comunicação.

As atividades diretamente relacionadas com a produção, difusão e usos da cultura, segundo a UNESCO e também consideradas pelo IBGE são: teatro, música, filme, edição de livro, fotografia, rádio, televisão, bibliotecas, arquivos, museus, patrimônio histórico. E as atividades indiretamente relacionadas são: fabricação de equipamentos de comunicação, comércio especializado em informática, telecomunicações, desenvolvimento de programas de computador, e outras.

Participação da cultura nas despesas governamentais

As despesas com cultura do Governo Estadual no Amazonas foram 112.424.000 em 2011, subiram para 197.689.000 reais, em 2012, e depois foram sendo reduzidas até o menor valor dos últimos sete anos, em 2017, quando a despesa com cultura foi de 91.553.000. Em 2018, a despesa com cultura voltou a subir, alcançando 132.287.000 reais, representando 5,3% dos gastos totais do Governo. As despesas com cultura do Amazonas são as maiores da região Norte.
Quanto às despesas dos Municípios no setor cultural, essas foram 43.823.000 reais, em 2011, subiram para 73.564.000, em 2017, e aumentaram em 2018, alcançando 116.140.000 reais, 2,5% do valor total nacional dos gastos dos municípios. O valor das despesas no setor cultural dos municípios amazonenses é o maior da Região Norte.

Gastos e acesso das famílias a produtos culturais

O resultado da pesquisa de orçamentos familiares 2017-2018 no Amazonas revela que, da despesa de consumo média de R$ 2.696,00; R$ 209,68 reais são despesas com cultura, ou seja, 7,8% do valor total. O resultado também mostra que do total de despesas com cultura, o amazonense gasta 69,8% com telefonia, tv por assinatura e internet; 10% com aquisição de eletrodomésticos e 9% com cultura, lazer e festas.

O resultado da pesquisa também mostra que 59% das pessoas residentes no Amazonas viviam em município com existência de museu, e 61,9% das pessoas do Amazonas viviam em local com teatro ou casa de espetáculos. Além disso, 66,8% viviam em município com cinema, 89,2% em município com rádio AM ou FM local e 92,2%, em município com provedor de internet. (Tabelas 8.1, 8.2, 8.3, 8.4 e 8.5)

Uso da internet e celular

Os dados da PNADc revelam que, em 2017, 59,7% das pessoas residentes no Amazonas, de 10 anos ou mais, e 81,4% dos residentes de Manaus utilizaram a internet, principalmente por meio de telefones celulares: 97,9% dos residentes do Amazonas e 98,5% dos residentes de Manaus utilizaram o celular para acessar a internet.

Quanto ao telefone móvel, os resultados da PNADC (4º trimestre/2017) revelaram que 65,2%, no Amazonas, e 79,6%, em Manaus, possuíam telefone móvel. O percentual de 65,2% coloca o Amazonas como o antepenúltimo Estado em proporção de pessoas com posse de celular, ficando à frente somente do Pará (62,3%) e Maranhão (58,2%). Tabela 7.6 (2017)

Televisão

No Amazonas, em 2018, 93,6% dos moradores em domicílios particulares possuíam televisão, sendo 71,2% delas de tela fina; em Manaus, os moradores com televisão eram 97,4% e os que tinham televisão de tela fina, 84,9%. O percentual de 93,6% posiciona o Amazonas também entre os Estados com menor percentual de moradores com televisão, ficando à frente do Acre (91,1%), de Roraima (91,3%) e do Pará (93,3%). Tabela 7.8 (2018)

Locais, pessoas ocupadas e salário médio

Numa comparação do Cadastro Central de Empresas, que trata das empresas formais, nos anos de 2007 e 2017; o número de unidades dedicadas ao setor cultural do Amazonas aumentou de 1.950 em 2007 para 2.059 em 2017. O pessoal ocupado nas empresas formais, ligados a cultura caiu de 43.047 em 2007 para 37.119 em 2017.

Já segundo a PNAD Contínua, o pessoal ocupado total no setor cultural assalariado em 2018 era 102 mil pessoas; em 2014 esse mesmo número era 109.000, ou seja, em quatro anos houve diminuição de 6,4%.