25.3 C
Manaus
segunda-feira, fevereiro 26, 2024

Amazonas pode nova seca recorde em 2024, adverte Sindarma

Manaus, 31 de Janeiro – O presidente do Sindicato das Empresas de Navegação Fluvial do Amazonas (Sindarma), Galdino Alencar Júnior, emitiu um alerta nesta quarta-feira sobre a possibilidade de uma nova seca recorde nos rios do Amazonas em 2024. Baseando-se em dados coletados pelas transportadoras, Alencar informou que o nível dos rios nas principais bacias do estado apresenta uma redução média de um metro em comparação com o mesmo período nos anos anteriores.

“Depois de uma seca histórica, é preciso se preparar para uma possível crise fluvial em 2024. Mesmo com o retorno das chuvas, os índices ainda são baixos e não garantem condições normais de navegabilidade no início do verão,” afirmou Galdino Alencar.

Durante uma reunião promovida pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, o presidente do Sindarma ressaltou a urgência em desenvolver estratégias para prevenir desabastecimento nos municípios do interior e no Polo Industrial de Manaus (PIM). Ele mencionou o sucesso do ‘Plano Verão’, uma iniciativa que há uma década forma estoques de combustível em áreas de alta demanda para evitar escassez durante secas intensas.

Além das questões logísticas e de abastecimento, Galdino Alencar também destacou os crescentes problemas de segurança pública durante as vazantes. Com o baixo calado dos rios, as viagens se tornam mais longas, as cargas transportadas são reduzidas, e a velocidade das embarcações é diminuída. Em alguns trechos, a navegação noturna é proibida pela capitania, o que eleva os custos operacionais e facilita ações de piratas e quadrilhas fluviais.

O evento contou com a participação de diversos setores da economia amazonense, onde se discutiram os efeitos, ações e previsões para as cheias e vazantes dos rios do estado neste ano.

spot_img