Amazonas registrou quase 3 mil casos de ataques de animais peçonhentos em 2020

Os casos de acidentes com animais peçonhentos reduziram 10,1% na comparação das ocorrências de 2020 e 2019 no Amazonas. Os dados de acidentes envolvendo animais peçonhentos são de notificação compulsória (obrigatória) realizada pelas secretarias municipais de saúde de cada um dos 62 municípios do Amazonas e informada à Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) que consolida os indicadores.

De janeiro a dezembro de 2020, foram registrados 2.989 acidentes com animais peçonhentos. Já em todo o ano de 2019, essas ocorrências chegaram a 3.327 casos. A maioria desses acidentes são causados por serpentes, modalidade que sofreu redução de 6,3% no comparativo entre os dois anos. Em 2020, 71,3% do total dos acidentes foram causados por serpentes. Em 2019, esse animal foi responsável por 68,4% dos casos.

Os acidentes pelos demais animais peçonhentos no estado também apresentaram redução. A Gerência de Zoonoses da FVS-AM identificou redução de 17,5% nas ocorrências envolvendo escorpiões, com 513 registros de 2019, e 423, em 2020. A redução de 16,9% também foi observada nos acidentes tendo aranhas como causadores, sendo 206 registros em 2019, e 171, em 2020. Já os casos envolvendo lagartas permaneceram iguais nos últimos dois anos: foram 29 acidentes registrados em 2019 e em 2020 tendo esses animais como causadores.

O diretor-presidente da FVS-AM em exercício, Cristiano Fernandes, destaca a necessidade de todos os municípios do Amazonas atuarem na prevenção contra acidentes por animais peçonhentos. “Com o período de chuvas no estado, os acidentes com esses animais costumam aumentar, porque os peçonhentos passam a buscar abrigo em áreas residenciais. Então, por mais que estejamos observando essa redução nos casos, a regra é intensificar na prevenção dessas ocorrências”, afirmou.

Cristiano alerta que os ataques, normalmente, estão relacionados à subida do nível dos rios no estado. “A cheia dos rios é algo natural no Amazonas, e isto, representa ameaça para muitos animais peçonhentos, que ficam desalojados dos abrigos naturais”, avaliou.

De acordo com o médico veterinário Deugles Cardoso, da Gerência de Zoonoses da FVS-AM, muitas pessoas vítimas de acidentes com animais peçonhentos tendem a buscar apenas atendimento doméstico.

“Esse é um erro gravíssimo, principalmente quando são crianças e idosos, porque são pessoas que podem facilmente agravar diante da situação. É preciso levar a pessoa para atendimento de saúde imediatamente para verificar a gravidade da ocorrência”, afirmou o veterinário.

Indicadores – Os municípios que mais apresentaram notificações de acidentes por animais peçonhentos em todo o ano de 2020 foram Manaus (283), Itacoatiara (188), Parintins (162), Apuí (147), Maués (104) e São Gabriel da Cachoeira (103).

Prevenção – As recomendações para se prevenir de acidentes com animais peçonhentos incluem usar calçados e luvas nas atividades rurais e de jardinagem; examinar calçados, roupas pessoais, de cama e banho, antes de usá-las; afastar camas das paredes e evitar pendurar roupas fora de armários; não acumular entulhos e materiais de construção; limpar regularmente móveis, cortinas, quadros, cantos de parede; e vedar frestas e buracos em paredes, assoalhos, forros e rodapés.

É recomendado ainda utilizar telas, vedantes ou sacos de areia em portas, janelas e ralos; manter limpos os locais próximo das casas, jardins e quintais; evitar plantas tipo trepadeiras e bananeiras junto às casas e manter a grama sempre cortada; e limpar terrenos baldios, pelo menos na faixa de um a dois metros junto ao muro ou cercas.

A FVS-AM recomenda a quem sofrer acidente, por serpente ou por qualquer outro animal peçonhento, que procure imediatamente a unidade de saúde mais próxima. Em Manaus, os atendimentos de pacientes vítimas de acidentes por animais peçonhentos são realizados na Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado (FMT/HDV), que é referência de tratamento com soroterapia para esses tipos de acidentes. Os números para contato telefônico da instituição são o (92) 2127-3555, 2127-3401 e 2127-3519.

Referência – A FVS-AM é responsável pela Vigilância em Saúde do Amazonas, incluindo o monitoramento de indicadores de acidentes com animais peçonhentos, por meio do Departamento de Vigilância Ambiental e Controle de Doenças (DVA/FVS-AM) via Gerência de Zoonoses (GZ/DVA/FVS-AM).

A instituição funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, na avenida Torquato Tapajós, 4.010, Colônia Santo Antônio, Manaus. Os números para contato são (92) 3182-8550 e 3182-8551. Os contatos específicos do DVA/FVS-AM e do GZ/DVA/FVS-AM são, respectivamente, 3182-8547 e 3182-8544.

FOTO: Girlene Medeiros/FVS-AM