27.3 C
Manaus
quinta-feira, dezembro 7, 2023

Amazonas: seca no Rio Negro bate recorde ao atingir 13,49 metros

Nesta terça-feira (17), o Rio Negro registou o nível de 13,49 metros em Manaus, superando a maior seca histórica anterior, que aconteceu no dia 24 de outubro de 2010, quando o rio desceu para 13,63 metros. Barcelos, São Gabriel da Cachoeira, Santa Isabel do Rio Negro e Manaus, municípios próximos ao Rio Negro, declararam situação de emergência devido à estiagem.

A seca de 2023 é a maior já registrada em Manaus em 121 anos, de acordo com o Porto de Manaus, que mede o nível do Rio Negro na capital desde 1902. Até hoje, as secas mais severas ocorreram em 2010 (13,63m), 1963 (13,64m) e 1906 (14,20m). 

Segundo Naiane Araujo, meteorologista no Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a previsão do tempo para os próximos dias no Amazonas indica algumas pancadas de chuva pontuais, mas de forma irregular, no norte do estado, especialmente em áreas de divisa com Roraima, Pará e na região metropolitana de Manaus.

“Podem receber sim algumas pancadas de chuva passageiras e de curta duração. A expectativa de volume não é muito grande. Então chuvas típicas de primavera, verão, às vezes até bem forte, principalmente entre a tarde e noite, mas que não trazem aquele alívio que a região precisa, já que está passando por um período longo de escassez de chuva significativa”, informa Araujo.

Ela destaca que esse é o cenário até o final de semana, entre os dias 21 e 22 de outubro, no Amazonas, incluindo a região metropolitana de Manaus, onde fica o Rio Negro.

O Rio Negro encontra-se com o Rio Solimões, bacia que banha nove cidades amazonenses. Juntos, os dois formam o Rio Amazonas. 

Em Médio Solimões, a cota registrada nesta terça-feira (17), em Fonte Boa, foi de 10,36 metros. Em Baixo Solimões, em Careiro da Várzea, foi de 2,32 metros e em Alto Solimões, -0,64, no município de Tabatinga.

Fonte: Brasil 61

spot_img