Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

Amazonas tem trabalho aprovado na 9ª Bienal da UNE

A coordenação da 9ª Bienal da UNE recebeu 1.559 trabalhos para as áreas de literatura, música, artes cênicas, artes visuais, audiovisual, extensão universitária e ciência e tecnologia. Edição 2015 do festival estudantil é considerada a maior já organizada até hoje.
A 9ª Bienal da UNE bateu o recorde de trabalhos inscritos nesta edição. No total, 1.559 envios foram realizados, durante 60 dias, pelo site do festival por estudantes de todo o Brasil. Destes, 203 foram selecionados para as áreas artísticas que fazem parte da programação do evento. A próxima edição da Bienal da UNE ocorre entre os dias 1º e 6 de fevereiro, na Fundição Progresso, Arcos da Lapa e Circo Voador, locais tradicionais do Rio de Janeiro.

O estado do Amazonas teve um trabalho aprovado na área de artes visuais: “Beleza Aquarelável”, elaborado por Samantha Karlia Rodrigues, aluna da Universidade Federal do Amazonas. No total, foram selecionados oito trabalhos de música, 19 de artes cênicas, 22 de audiovisual, 20 de literatura, 15 projetos de extensão universitária e 27 de artes visuais.

A seleção foi realizada a partir dos critérios e regras estabelecidos no regulamento oficial da 9ª Bienal da UNE. A coordenação do festival, formada por estudantes de artes, representantes do Circuito Universitário de Cultura e Arte (CUCA) e diretores da entidade, ficou responsável pela seleção. Durante a escolha a equipe também valorizou as questões regionais, a afinidade com o tema “Vozes do Brasil” e levaram em conta as especificidades técnicas e a documentação obrigatória (sendo 50% estudantes regularmente matriculados).

Na área de ciência e tecnologia foram aprovados 99 projetos pelo processo de curadoria da Associação Nacional dos Pós-graduandos (ANPG). Para conferir a lista completa dos selecionados, acesse http://bienaldaune.org.br/

QUALIDADE DOS TRABALHOS SELECIONADOS

Nunca uma Bienal havia recebido expressiva quantidade de projetos. Para a diretora de Cultura da UNE, Patricia de Matos, essa Bienal conseguiu reunir o que existe de mais significativa na produção cultural e artística universitárias: “isso mostra que a universidades ainda são ambientes ricos de criação artística e que contem no seu seio estudantes dispostos a trocarem e conhecerem o que anda acontecendo em outros cantos do país.”

Patricia acredita que muitos bons trabalhos não puderam ser classificados por falta de espaço. ”Em nome da organização da Bienal, quero agradecer a todos os estudantes que inscreveram trabalhos. O fato é que não esperávamos receber um número tão grande de projetos inscritos. Por isso, muitas obras que poderiam estar em qualquer outro festival e até mesmo nesta Bienal, infelizmente ficaram de fora”, disse.

9ª BIENAL DA UNE

Considerado o maior festival estudantil da América Latina, o encontro é um instrumento de mapeamento e difusão da produção artística desenvolvida por jovens estudantes brasileiros. A programação dos seis dias de evento ainda apresenta um qualificado rol de convidados entre pensadores, artistas, ativistas.

Sempre preocupada em investigar os elementos de formação do povo brasileiro, a Bienal da UNE destaca, dessa vez, a língua nacional com suas características, variações, misturas e possibilidades. A Bienal busca a polifonia das vozes que marcam a construção do país desde a colonização até os dias de hoje, traduzindo a brasilidade em um universo de modos de fala e escrita tão característicos de um país culturalmente rico e ainda marcado por fortes desigualdades.Por isso, o tema desta edição será #VOZESDOBRASIL.

Com o objetivo de reunir as diversas expressões artísticas, valorizar a identidade nacional e conectar as produções estudantis de todas as regiões do país, o encontro cumpre uma extensa programação para todas as formas, cores, sons, jeitos e expressões da juventude. Fazem parte da programação mesas de debates, seminários sobre reforma política, cultura, LGBT, saúde e esporte, além de saraus, lançamentos de livros, encontro de redes, roda de funk e duelo de MCs. O esporte de rua terá espaço com atividades de basquete, slackline, skate e tecido. Confira a programação:
http://bienaldaune.org.br/hs/programacao-completa/

HOMENAGEADOS

A cada edição, a Bienal da UNE homenageia artistas e intelectuais que foram importantes para cada uma das áreas contempladas no festival. Neste ano, os homens e mulheres celebrados dialogam o histórico de luta e ativismo da UNE. O homenageado na categoria audiovisual é Eduardo Coutinho; Em artes visuais, a homenageada é a artista autodidata Djanira da Motta, cujo centenário foi comemorado em 2014; Abdias do Nascimento é o homenageado das artes cênicas; O professor Ildeu de Castro Moreira é o homenageado de ciência & tecnologia; Na área da música, a homenageada é Dona Ivone Lara, sambista que completa 94 anos neste 2015; Horácio Macedo é o homenageado na área de projetos de extensão e, na literatura, a Bienal presta homenagem a um velho conhecido: Carlos Drummond de Andrade. Conheça mais sobre a história de cada homenageado em: http://www.bienaldaune.org.br

-publicidade-