A Aneel anunciou que quer fazer com que todos os consumidores do país tenham que dividir por igual um encargo chamado de ESS (Encargos de Serviços do Sistema). A revelação é de hoje, do jornal “O Tempo”, de Belo Horizonte. O encargo serve para cobrir os gastos extras com as usinas termelétricas – ou seja, nem todos as despesas com esse tipo de geração de energia foram incluídas na tarifa. Atualmente, esse valor recai sobre consumidores da região onde a usina térmica está localizada. O jornal diz que, “com a nova proposta, esse modelo muda, e o rateio começa a ser feito dando pesos iguais a todos os consumidores do país”. Assim, segundo a própria Aneel, estados do Sudeste deverão pagar mais, pois têm mais hidrelétricas e teoricamente usam menos energia das térmicas. Procurada, a Cemig disse que a empresa não se manifestaria sobre o assunto antes da medida se tornar oficial. A decisão ainda passará por audiência pública, entre os dias 29 de janeiro e 2 de fevereiro.