As Principais Notícias do Estado do Amazonas estão aqui!

Aplicativo Cidades Florestais facilita gestão de produtos madeireiros e não-madeireiros

Ferramenta possibilita serviços de extensão florestal em larga escala para comunidades que vivem de produtos florestais

Extrativistas e comunidades rurais que vivem de produtos florestais madeireiros e não-madeireiros acabam de ganhar um aliado tecnológico que vai trazer mais sustentabilidade e segurança para sua produção. O aplicativo Cidades Florestais, criado pelo Idesam com recursos do Fundo Amazônia, facilita a gestão de todas as etapas de produção e ainda permite a rastreabilidade dos produtos.

O aplicativo foi desenvolvido para integrar em uma única ferramenta todos os principais elos da cadeia de produtos florestais da Amazônia. Há funcionalidades específicas para os produtores familiares de madeira manejada e óleos vegetais, para gestores de usinas de óleos vegetais que compram e processam a matéria-prima, para os técnicos extensionistas e para pesquisadores da área florestal.

Para os produtores familiares, o aplicativo é uma ferramenta completa de gestão que permite registrar os custos de cada etapa da sua produção, gestão de estoque e outras informações técnicas dos produtos. “É um recurso importante para os extrativistas, que poderão gerenciar os custos de sua produção e ter informações para negociar o valor de venda de seu produto”, explica André Vianna, gerente do projeto.

As informações podem ser inseridas no modo offline e sincronizadas mais tarde, no momento em que o usuário estiver com acesso à internet. Vianna explica que, quanto mais detalhada for a inserção de dados de cada etapa de produção, mais informações as famílias têm para ajustar seus custos e processos de produção.

“Dá para ver, por exemplo, em quais rotas se está gastando mais combustível e ajustar os processos de coleta de produtos florestais para otimizar esse gasto”. Assim, o aplicativo permite maior profissionalização da atividade extrativista com uma ferramenta tecnológica, o que deve atrair os jovens, filhos dos produtores, para a atividade.

Manejo florestal facilitado

O aplicativo também permite fazer o inventário florestal de forma digital e facilita a gestão da produção de madeira manejada. É possível de inserir todos os dados do inventário e outras informações técnicas para o manejo florestal, e ainda fazer o upload de documentos como o Cadastro Ambiental Rural, documentos das associações e dos sócios, entre outros.

Os dados podem ser salvos em formato de planilha ou pdf e enviados para o técnico responsável pela solicitação da licença e pelo acompanhamento do plano de manejo florestal sustentável da comunidade. Se estiver usando o aplicativo, o extensionista pode fazer o download do inventário, documentos e outras informações, imprimir e enviar para o Sistema Nacional de Controle da Origem dos Produtos Florestais (Sinaflor).

“O app é uma ferramenta de extensão remota em larga escala. Nós, no Idesam, podemos funcionar como uma central de extensão que vai conseguir adequar as ações de campo para a realidade das famílias”, apota André Vianna.

Rastreabilidade

Com todas as informações sobre a produção, desde a coleta, o uso do aplicativo atende a uma demanda crescente do mercado: a rastreabilidade. As tendências de consumo emergentes valorizam cada vez mais os produtos sustentáveis e com garantia de procedência. Com o aplicativo Cidades Florestais, consumidores de produtos florestais como óleos e manteigas poderão saber qual família coletou as sementes, castanhas, os frutos ou e resinas que dão origem ao produto que estão comprando.

Para poder ter acesso às informações, o consumidor poderá ler por meio de seu aparelho smartphone o QR code impresso no rótulo dos produtos comercializados através da Vitrine Virtual, a loja virtual de produtos florestais criada pelo Idesam para promover a economia florestal no Amazonas.

André Vianna diz que a prioridade neste primeiro momento é fortalecer a cadeia de produtos florestais apoiadas pelo Idesam no projeto Cidades Florestais, que tem financiamento do Fundo Amazônia. Mas, no longo prazo, a ideia é que qualquer produtor, beneficiador ou comprador de produtos florestais possa utilizar o sistema de rastreabilidade proporcionado pelo aplicativo.

Projeção até 2021

O aplicativo Cidades Florestais é gratuito já está disponível na loja de aplicativos para Android. O Idesam projeta que, até 2021, cerca de 1.300 pessoas utilizarão o app. Com a ferramenta de gestão, a expectativa é de aumento de 20% no volume de madeira manejada nos sete municípios abrangidos pelo projeto Cidades Florestais e que a venda de manteigas e óleos atinja a marca de R$ 1 milhão.

Iniciado em 2018, o projeto Cidades Florestais tem como propósito promover a economia florestal de municípios do interior do Amazonas. Esta promoção se dá por meio do fomento a cadeias produtivas florestais, madeireiras e de óleos vegetais, de comunidades e famílias dos municípios: Apuí, Carauari, Itapiranga, São Sebastião do Uatumã, Silves, Lábrea e Boa Vista do Ramos. Produtores não envolvidos no projeto também podem utilizar o aplicativo e se beneficiar das ferramentas de gestão da produção.

As ações do projeto são desenvolvidas pelo Idesam, com apoio do Fundo Amazônia/BNDES, sendo que, atualmente, 14 organizações sociais participam das ações, que incluem: a implantação de plataforma digital e aplicativo de apoio à gestão da produção comunitária; elaboração de Planos de Manejo Florestal e assistência técnica, até a comercialização da produção; implementação de novos equipamentos e maquinários para a atividade florestal; além da instalação da Rede de Óleos da Amazônia, com a construção de duas novas miniusinas de extração de óleos vegetais e apoio estrutural e gerencial a outras três usinas já existentes.

você pode gostar também