Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

-publicidade-

Apoio da Sepror permite licenciamento de laboratório de produção de alevinos

Entrega da Licença Ambiental aconteceu durante ações do Programa “Agro Amazonas” para a Semana Santa

Na terça-feira (30/03), durante a solenidade que marcou o início das ações do Programa “Agro Amazonas” para a Semana Santa, no município de Manacapuru (distante 68 quilômetros de Manaus), foi concedida a Licença de Operação Ambiental ao Laboratório de Produção de Alevinos Água Viva. O processo de licenciamento foi acompanhado pela Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror), por meio da Secretaria Executiva de Pesca e Aquicultura (Sepa).

A Licença de Operação é emitida pelo Instituto de Proteção Ambiental (Ipaam), e permite que a propriedade passe a reproduzir alevinos de forma legal e ambientalmente sustentável. Todo o processo de apoio ao licenciamento ambiental foi executado por técnicos da Sepror, como ações relativas ao georreferenciamento da propriedade, Cadastro Ambiental Rural (CAR), macrozoneamento e elaboração do projeto técnico para instalação do laboratório.

O laboratório, que funcionará no sítio Água Viva, no Km 30 da rodovia AM-352, é da piscicultora Francisca das Chagas Almeida Bezerra, que comemora a possibilidade de poder reproduzir os alevinos de oito espécies de peixes: tambaqui, matrinxã, pirarucu, pirapitinga, jaraqui, tucunaré, surubim e caparari. Inicialmente a produção será da espécie tambaqui, o que pode ser feito ininterruptamente, durante todo o ano, a depender da demanda.

“O mercado para venda de alevinos está muito melhor do que o mercado para venda de peixe, devido à questão de preço dos insumos. Para produzir um peixe que chegue ao tamanho de venda, gasta-se muito com ração e muitos outros insumos. Já o alevino, você faz a reprodução e já vende para os outros piscicultores”, esclareceu Francisca.

O secretário executivo adjunto de Pesca e Aquicultura da Sepror, Leocy Cutrim, destacou a busca contínua, por meio do Programa “Agro Amazonas”, em dar apoio aos piscicultores do estado.

“A regularização ambiental está inserida como parte do programa Pró-Piscicultura, e a Sepa/Sepror busca ajudar no que for possível para os piscicultores conseguirem este licenciamento, tanto para ajudar em sua produção como também no cuidado ao meio ambiente”, concluiu Cutrim.

FOTO: Emerson Martins

-publicidade-