Take a fresh look at your lifestyle.

Após campanha, Amazonprev bate recorde no número de aposentados recadastrados

-publicidade-

Mais de 90% dos beneficiários compareceram à instituição nos cinco primeiros meses do ano para a atualização cadastral

Em boletim divulgado nesta quinta-feira (6/6) pela Gerência de Previdência do Fundo Previdenciário do Estado do Amazonas (Amazonprev), consta que a taxa de aposentados e pensionistas recadastrados alcançou a marca de 92,7% nos primeiros cinco meses do ano. Se considerada uma massa de 12.396 beneficiários, com aniversários de janeiro a maio, apenas 916 segurados, ou 7,3%, deixaram de comparecer à instituição para a atualização de dados e tiveram os pagamentos suspensos.

Num comparativo com o mesmo período de 2018, a mesma planilha apresentada pela Gerência de Previdência aponta que o número de aposentados e pensionistas que deixaram de se recadastrar foi alto. No ano anterior, de um total de 11.773 beneficiários, com aniversário nos cinco primeiros meses do ano, mais de 4,2 mil, ou 78%, haviam ficado inadimplentes de renovação documental.

“Mas, com estratégias de intensificação da comunicação, alinhadas às propostas do Governo do Estado de bem informar as ações das secretarias e órgãos públicos à sociedade, aprimoramos nossas ferramentas de mídia e conseguimos alcançar os nossos segurados de maneira eficaz. Tais medidas contribuíram para o aumento das estatísticas de recadastramento”, justifica o presidente da Amazonprev, André Luiz Zogahib.

Essa política de ampliação das informações junto aos beneficiários começou a surtir efeito logo no início da nova gestão da Amazonprev. Em janeiro, por exemplo, apenas 11 segurados ficaram de fora da folha de pagamento, de um universo de 2.564. Nesse mesmo mês, no ano passado, eram 795 aposentados sem atualização na instituição previdenciária. Enquanto em fevereiro deste ano somente 9 aposentados deixaram de se recadastrar, em 2018 foram 802.

Prova de vida – O recadastramento atesta a prova de vida do beneficiário e é uma obrigação estipulada pela Lei Complementar 30/2001. O aposentado ou pensionista pode realizá-lo ao longo de todo o mês de seu aniversário, mas o não cumprimento resulta na suspensão do benefício pela instituição previdenciária.

FOTO: João Marcelo Perdigão

Com a proposta de dar voz e cor às pessoas invisibilizadas na sociedade, o projeto “Mundo de Sofia”, contemplado no Edital de Conexões Culturais de 2017, realizado pela Prefeitura de Manaus, estreia na próxima semana com duas apresentações gratuitas ao público.

A primeira acontecerá na quarta-feira, 12/6, às 19h, no calçadão do Complexo Turístico da Ponta Negra, localizado na zona Oeste. Já a segunda apresentação, será realizada na quinta-feira, 13/6, às 20h, no Teatro da Instalação, na rua Frei José dos Inocentes, s/nº, Centro.

Interpretada pela proponente do projeto, Ana Oliveira, a personagem principal é caracterizada por uma palhaça faxineira. Segundo Ana, o projeto traz um lado divertido sobre o dia a dia de trabalhadores que exercem a função de serviços gerais.

“Acompanhamos a jornada de trabalho e devaneios desses profissionais, que muitas vezes passam despercebidos no local onde trabalham. Essas pessoas também têm sentimentos, transformam o lugar por onde passam e desenvolvem funções importantes no local de trabalho. Com isso, procuramos contar o dia a dia dessas figuras, dando um olhar leve e divertido a ele”, comentou Ana.

O espetáculo conta ainda com a direção do ator, palhaço, pesquisador, orientador de atores e diretor Ricardo Pucceti. Promissor da área teatral e palhaçaria no Brasil, Pucceti está à frente da coordenação artística do Lume Teatro, núcleo interdisciplinar de pesquisas teatrais da Unicamp, em Campinas, interior de São Paulo.

Contrapartida

Em sua primeira etapa, o projeto desenvolveu atividades complementares como oficina e apresentações em escolas municipais de Manaus. Com um número expressivo de público interessado para a iniciação no mundo da palhaçaria, a oficina “Iniciação à Linguagem do Palhaço – A Coragem de Fracassar” desenvolveu a história do palhaço, ultrapassando as referências mais comuns sobre o mundo da palhaçaria entre atores e novatos.

“Tivemos pouco tempo para conseguir aprofundar e trabalhar bem o palhaço de cada um, mas conseguimos de maneira prática passar por vários pontos chaves da técnica e do estado do palhaço. A galera curtiu bastante e estamos em um grupo agora trocando figurinhas sobre a linguagem e quem sabe fazer mais um módulo no futuro para seguirmos trabalhando esses futuros palhaços manauaras”, pontuou Oliveira.

Já a atuação nas escolas tornou-se um grande desafio para a proponente do projeto, Ana Oliveira. Com faixas etárias diferentes, as apresentações ocorreram nas escolas da rede pública municipal das zonas Norte, Leste e Centro-Oeste da capital Ao todo, foram 10 apresentações, com duração de 55 minutos cada. Além da experiência adquirida, Ana falou sobre a oportunidade em colocar o espetáculo a prova.

“Foi incrível! No início foi muito desafiador. Eu estava com muito medo de enfrentar tantas crianças sozinha. As crianças são muito sinceras, se elas não gostam, fazem questão de deixar claro e não tem mais volta. Mas deu tudo certo e elas são muito amorosas. Finalizei as 10 apresentações preenchida com os abraços e carinho. Toda essa experiência me proporcionou colocar em ação o projeto “Mundo de Sofia” que idealizei, está sendo mágico toda essa experiência”, completou Ana.

SERVIÇO:

O quê – Estreia do espetáculo “Mundo de Sofia”

Quando – 12/6, às 19h, no calçadão do Complexo Turístico da Ponta Negra, localizado na zona Oeste e 13/6, às 20h, no Teatro da Instalação, na rua Frei José dos Inocentes, s/n, Centro

Quanto – Gratuito

Informações – Ana Oliveira (92) 98466-0880

Texto -Jéssica Rebello / Manauscult

Foto – Divulgação / Manauscult

-publicidade-