Texto: Diego Queiroz

O superintendente da Zona Franca de Manaus, em exercício, Gustavo Igrejas, participou na tarde desta quarta-feira (25) da 254ª reunião do Conselho de Desenvolvimento do Amazonas (Codam), ocorrida no auditório da Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico (Seplan-AM). O evento contou com a participação de empresários, dirigentes de entidades de classe e representantes de órgãos governamentais, entre outros, e representou o primeiro encontro formal do Codam neste ano. Na reunião, foram aprovados 20 projetos industriais, com investimentos estimados em R$ 1,199 bilhão e previsão de geração de 1.584 vagas no mercado de trabalho no período de três anos.

A pauta de projetos teve como maiores destaques as proposições das empresas Cal-Comp da Indústria e Comércio de Eletrônicos e Informática, para fabricação de placas de circuito impresso montada e subconjunto chassi importado, com investimento total de R$ 610,391 milhões e geração de 529 postos de trabalho; Unicoba da Amazônia, para fabricação de luminária e lâmpadas com tecnologia LED, além de auto-rádio e microcomputador portátil, no valor de R$ 213,113 milhões e geração de 241 postos de trabalho; e Woox Innovations Indústria Eletrônica, no valor de R$ 22,560 milhões e geração de 178 postos de trabalho, visando à fabricação de antenas com circuito eletrônico passivo, caixa acústica e rádio portátil.

A empresa Cal-Comp também teve na reunião outro projeto de grande destaque aprovado, visando à fabricação de dispositivos de armazenamento não-volátil de dados à base de semicondutores, circuito integrado combinando memória flash e cartão de memória SD. Trata-se do primeiro projeto aprovado para formação de uma indústria de semicondutores no Polo Industrial de Manaus (PIM), com investimentos previstos de R$ 84,335 milhões e geração de 252 postos de trabalho. “Para a SUFRAMA, esse projeto, em particular, tem suma importância. Apesar de não contar com incentivos federais, estamos dando todo o apoio para que essa iniciativa tenha êxito, promovendo, inclusive, articulações com o Governo do Estado, o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e a Receita Federal”, afirmou Igrejas.

Discussões
A 254ª reunião do Codam também teve discussões relevantes sobre temas relacionados ao PIM e ao modelo Zona Franca de Manaus, como Processos Produtivos Básicos (PPBs) e os desafios da SUFRAMA – que completa 48 anos no próximo dia 28 de fevereiro – na gestão da ZFM nas próximas décadas.

Em meio aos embates de ideias entre representantes de empresas de bem-final e empresas componentistas presentes à reunião, o superintendente da autarquia, Gustavo Igrejas, prestou esclarecimentos sobre o PPB de ar-condicionado do tipo split system, lembrando todo o processo de evolução da cadeia produtiva, que só foi possível graças aos ajustes nas regras produtivas promovidos pelo Governo Federal. Ele disse que a autarquia continuará atuando com a maior responsabilidade possível, com vistas a agregar cada vez mais valor ao PPB sem, no entanto, prejudicar a competitividade do bem final. “Esse produto anda sempre numa linha muito tênue de competitividade. Os resultados mostram que o nosso trabalho tem conseguido ter responsabilidade e efeitos benéficos para todos. A produção desse item no PIM, que chegou a zerar em 2007, hoje atende praticamente todo o mercado nacional”, disse Igrejas, anunciando, ainda, que no próximo dia 5 de março o Grupo Técnico Interministerial de Análise de Processos Produtivos Básicos (GT-PPB) pretende realizar uma reunião para reabrir discussões na portaria que estabelece o PPB de splits.

Em seu pronunciamento, Igrejas também se posicionou de forma a defender e reconhecer os diversos benefícios – sociais, econômicos e ambientais, entre outros – gerados para a sociedade brasileira a partir da atuação da SUFRAMA nas últimas décadas, mas reconheceu que existem muitos obstáculos ainda a serem superados. “Em 48 anos, temos, sim, muitos sucessos – preservação, crescimento econômico, empregos. Mas também temos áreas falhas”, disse. O superintendente destacou que a autarquia realizará, na segunda quinzena de março, um ciclo de debates com participação ampla da sociedade para discutir a temática da prorrogação da ZFM e os cenários e desafios futuros. “Serão quatro painéis em dois dias contemplando questões de logística, desenvolvimento de produtos locais, Áreas de Livre Comércio e outras questões gerais do modelo ZFM. Nossa ideia, junto com o MDIC, é ter ao final do ciclo de debates um documento que possamos usar de referência para a elaboração de políticas consistentes que nos permitam olhar para frente com muito mais segurança e consistência “, afirmou.