O artesão Denizal Melo, que faz parte do projeto “Manaus Feita à Mão” da Prefeitura de Manaus, agora ensina suas técnicas para alunos de uma escola particular da capital. Desde o início do ano, os estudantes do 6º ao 9º anos do turno vespertino do Centro Educacional Amazônia, no bairro Santo Antônio, zona Centro-Oeste, participam do “Projeto Sucatrônica” ministrado por ele. A iniciativa tem como objetivo estimular a criatividade dos estudantes e ainda alertá-los para a questão da sustentabilidade.

Denizal é do grupo de artesãos do departamento de Economia Solidária e Criativa da Secretaria Municipal do Trabalho, Empreendedorismo e Inovação (Semtepi) e tem seus trabalhos reconhecidos nacionalmente. “Não foi uma surpresa, eu já esperava por isso. Antes, o meu projeto era apenas a coleta de resíduos eletrônicos e eu já tinha vontade de ensinar minhas técnicas. Quando apresentei tudo à escola, surgiu a ideia do ‘Sucatrônica’ e na hora eles abraçaram a iniciativa”, explicou Melo.

Para o artesão, o descarte correto de resíduos eletrônicos ainda é uma dúvida para a maioria das pessoas. Pensando nisso, ele resolveu fazer diferente com os alunos da escola. A construção de esculturas artesanais com este tipo de material, agora faz parte da grade extracurricular da instituição.

O projeto começou a tomar forma depois que a equipe docente da escola tomou conhecimento do trabalho de Denizal. A diretora pedagógica, Maria Inês, ficou encantada com as obras do artesão e viu ali a oportunidade de implantar algo diferente na rotina escolar dos alunos.

“Quando conhecemos o trabalho do Denizal, percebemos na hora que ele era o diferencial que estávamos procurando. Nós o procuramos, ele veio até a escola e já na primeira reunião, colocamos a proposta. Pedimos para que ele não trouxesse nada pronto e deixasse que os alunos decidissem o que queriam fazer”, disse a diretora.

Maria ainda conta que o projeto foi muito bem aceito na escola. O material utilizado nas esculturas, por exemplo, é coletado pelos pais e pelos alunos, que já pensam no que realmente servirá para a construção das esculturas.

Caio dos Santos, aluno do 9º ano, contou que além da empolgação com o projeto, também existe uma responsabilidade dentro dele. “Além de nos levar a um mundo diferente e interativo, ao final de todo esse trabalho, nós vamos expor nossas obras em nossa feira cultural e retratar a importância da reciclagem, da sustentabilidade e principalmente do descarte correto desses resíduos”, disse o aluno.

Reconhecimento nacional

Em julho do ano passado, Denizal concorreu a três categorias na maior feira de artesanato da América Latina, a Feira Nacional de Negócios de Artesanato (Fenearte), em Pernambuco. Feito que se repete este ano, na 20ª edição do evento.

O diretor do departamento da Semtepi, Virgílio Melo, ressalta a relevância do trabalho de Denizal. “Ele é pioneiro no que faz e entende a importância da continuação do seu trabalho. As obras dele convergem com o atual, com o moderno e principalmente com a questão da sustentabilidade”, ressaltou Virgílio.

Texto/Foto – Wesley Paiva / Semtepi