Arthur Virgílio formaliza apoio a Marina Silva em Manaus

O prefeito de Manaus e presidente de honra do PSDB/AM, Arthur Virgílio Neto, formalizou, nesta sexta-feira, 28/9, apoio à candidata à presidência da República, Marina Silva (Rede), que cumpriu agenda na capital em campanha para o primeiro turno da eleição majoritária nacional. Arthur foi o principal anfitrião da candidata e, no final da tarde, participou de entrevista coletiva ao lado de Marina.

“Tenho a certeza de que eu apoio uma candidata que está bem. Bem ancorada e que tem boa orientação econômica, alguém que é limpa, não tem uma mancha na sua vida pública, que é longa. Alguém que veio do seringal para ser presidente da República, só isso já deixa a gente cheio de ternura, cheio de respeito, cheio de vontade de fazer uma coisa dessa acontecer. Marina não diz nada que seja demagógico, não diz nada que seja fora de tom, não fala nada que seja para meramente agradar. É alguém que tem embutida nela a seriedade e o respeito pelas pessoas. Marina, se Deus quiser, será a presidente do Brasil”, disse o tucano, que tirou aplausos dos correligionários que acompanhavam Marina.

Arthur, que se lançou como pré-candidato à presidência na convenção do PSDB, saiu profundamente insatisfeito do processo por encontrar resistência do agora candidato tucano, Geraldo Alckmin, que impediu a escolha democrática da candidatura por meio da prévia partidária. Além disso, o prefeito da capital do Amazonas vê outros pontos intransponíveis para que não apoie o candidato de seu partido. O principal deles, segundo Virgílio, é a divergência na forma em que ambos enxergam os problemas regionais e o tratamento dispensado pelo candidato tucano aos interesses do Amazonas, notadamente à Zona Franca de Manaus (ZFM).

“Se as prévias tivessem sido feitas como eu propus, o vencedor teria sido ele por causa da mecânica interna. Somente São Paulo tem metade dos filiados e eu teria vencido no Rio de Janeiro e Amazonas. Teria feito meu papel. Mas nós teríamos evitado essa polarização ingrata que aí está. Nós teríamos dado uma demonstração de autocrítica do partido, o partido precisa parar de passar a mão em suas mazelas, teríamos percorrido o País, exposto nossos programas. Ele (Geraldo Alckmin) não quis. Então, saio apoiando a melhor candidata que é a Marina Silva”, detalhou.

O prefeito de Manaus disse também que não teme críticas do PSDB por ele se posicionar a favor de Marina Silva, ou mesmo expulsão ou algum tipo de punição. Ele afirmou que tem “pedigree” para tomar e sustentar suas decisões e posições. Afirmou também que o ex-senador Pedro Simon está organizando um grande manifesto com pessoas de vários partidos e que apoiam a Marina para uma mobilização. “Estamos fazendo um manifesto para a Marina com pessoas de todos os partidos. Marina já foi ministra, foi senadora, duas vezes candidata à presidência da República, ou seja, tem experiência suficiente para a gente confiar no que ela diz”, afirmou.

Arthur e Marina atuaram juntos no Senado, quando Arthur liderava o bloco de oposição ao governo Lula e Marina integrava o bloco governista. A candidata disse estar orgulhosa do apoio recebido de Arthur.

“Minha satisfação é imensa em estar junto com o prefeito Arthur Virgílio fazendo uma visita técnica a sede da Fiocruz no Estado do Amazonas (referindo-se a sua atividade na capital de Manaus). Viemos tratar de questões muito importantes no âmbito do nosso, que diz respeito à saúde pública e que diz respeito também à possibilidade de gerar emprego e renda digna às pessoas, principalmente, no caso da Amazônia”, disse a candidata, que reforçou ainda sua defesa em relação à Zona Franca.

“A Zona Franca tem cumprido papel importantíssimo na defesa do verde da região. Eu e Arthur temos conversado desde lá atrás e agora mais uma vez sobre a necessidade de um plano de desenvolvimento sustentável e uma nova base tecnológica para a região. Um plano que tenha a transição pela Zona Franca e que possa ser internalizado pelos municípios por meio dela”, finalizou.

FOTO: Mauro Smith

Compartilhe