Arthur Virgílio Neto entrega Nova Estação de Tratamento de Esgoto para atender 12 mil moradores da zona Norte

Como parte das ações da Prefeitura de Manaus para levar mais qualidade de vida para a população, o prefeito Arthur Virgílio Neto e o diretor-presidente da Manaus Ambiental, Renato Medicis, inauguraram nesta terça-feira, 16/10, a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Villa Nova, na zona Norte da cidade, com capacidade para tratar 61 mil litros de dejetos, por hora, e atender 12 mil moradores do conjunto habitacional e proximidades.

A obra faz parte da repactuação das metas estabelecidas pelo município à empresa concessionária, que prevê que Manaus tenha 80% de esgoto coletado e tratado até 2030. Para cada R$ 1 investido em saneamento, o poder público economiza R$ 4 em investimento na saúde. Por isso, o prefeito determinou que o foco da Manaus Ambiental seja a ampliação da rede de esgoto.
“É menos doença e mais saúde. Muitas vidas passam a ser poupadas e se reduz a procura de tratamento nas unidades básicas e hospitais. Esse é o tipo de investimento que tem reflexo direto na qualidade de vida da população.”

O prefeito destacou, ainda, que a meta de dotar Manaus com 80% de rede de esgoto até 2030 deve acompanhar o crescimento vegetativo da cidade para o período, referindo ao aditivo 5.

“Antes esse prazo era até 2045, reduzimos em 15 anos e estabelecemos regras mais rígidas, fazendo com que a concessionária realize os investimentos mais expressivos nos anos iniciais do contrato.”

O plano de investimento da Manaus Ambiental, recentemente adquirida pela Aegea Saneamento, prevê R$ 600 milhões em recursos planejados para os próximos cinco anos na ampliação dos serviços de tratamento de água e esgotamento sanitário, destacou o diretor-presidente da Manaus Ambiental, Renato Medicis.

“Investir em saneamento é promover saúde, qualidade de vida e outras melhorias que impactam no desenvolvimento socioeconômico da cidade, como o turismo.”

A ETE Villa Nova conta com tecnologia de ponta, utilizando o processo de lodos ativados com biomedia – MBBR (Moving Bed Biofilm Reactors), desenvolvido na Noruega. O sistema incorpora as melhores características de processos de crescimento de biomassa em suspensão e de biomassa aderida, proporcionando o aumento da população de microrganismos atuantes na depuração do esgoto.

Orçada em cerca de R$ 6 milhões, a obra da ETE Villa Nova teve início em janeiro de 2016 e teve sua conclusão acompanhada pela Agência Reguladora dos Serviços Públicos Delegados do Município de Manaus (Ageman), como pontuou o diretor-presidente da pasta, Fábio Alho.

“A Agência vai fiscalizar, de forma muito rígida e pontual, todos esses novos investimentos que a concessionária vem fazendo para avançar na meta de esgotamento sanitário.”

A estrutura seguirá os moldes já implementados na Estação de Tratamento de Esgoto Timbiras, também localizada na zona Norte da capital, no bairro Cidade Nova, com capacidade de tratar 230 litros de esgoto por segundo, beneficiando mais de 100 mil pessoas.

A ETE Timbiras preserva as nascentes e igarapés por atuar na coleta e tratamento de esgoto, devolvendo aos igarapés água com 95% de pureza. A operação da estação envolve, aproximadamente, 40.000 mil metros de novas redes coletoras e nove elevatórias de bombeamento, que possibilitam o transporte dos dejetos até a estação de tratamento.

Segundo o coordenador da Unidade Gestora de Projetos Municipal de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário (UGPM Água), Sérgio Elias, a estação é uma das maiores em tratamento de esgoto da Região Norte, com investimentos da ordem de R$ 70 milhões.

“Fizemos um planejamento, que está sendo cumprido pela empresa, principalmente na questão do saneamento básico, que este ano está sendo o foco das ações.”