De janeiro até agosto deste ano, as ações do Sistema de Segurança Pública do Amazonas resultaram na apreensão de mais de 5,87 toneladas de entorpecentes na capital e interior, conforme indicadores da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM). Com o trabalho, as polícias atacam financeiramente o tráfico e impedem a distribuição do entorpecente às bocas de fumo. Este ano, as apreensões interromperam a movimentação de um valor estimado em R$ 60 milhões por grupos criminosos.

Agosto teve o terceiro maior volume de apreensões deste ano, com 735,9 quilos, ficando atrás apenas das apreensões de maio, com 800 quilos, e de janeiro, com 2,9 toneladas. O total de apreensões reflete o trabalho de todo o sistema de segurança, enfatizou o secretário de Segurança, Coronel Anézio Paiva.

“Em um trabalho integrado entre todo o sistema de segurança, Polícia Militar e Polícia Civil, estamos agindo no combate aos crimes na capital e interior, na fonte do narcotráfico e nas rotas. Todas as denúncias recebidas pela Inteligência estão sendo monitoradas e resultam no combate imediato ao narcotráfico”, disse o secretário de segurança.

A Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (SEAI), o Departamento de Investigações sobre Narcóticos (DENARC) e a Delegacia Fluvial desenvolvem ações de maneira integrada focadas no combate a esse tipo de ilícito. Para o secretário executivo adjunto de Inteligência, delegado Herbert Lopes, a Operação Banzeiro, iniciada em abril, conforme determinação da Secretaria de Segurança Pública, tem sido fundamental para o volume de apreensões de entorpecentes em 2018.

“Só nesta operação já apreendemos duas toneladas de drogas, sem contar com as demais ações das forças de segurança. O nome Banzeiro é uma referência ao movimento das águas que dificulta a navegabilidade e é exatamente o que a SEAI vem fazendo, permitindo a atuação cirúrgica dos policiais na retirada das drogas de circulação”, explicou Lopes.

Na capital amazonense, as forças de segurança apreenderam duas toneladas de entorpecentes neste ano, sendo a maior parte de maconha. Somente desta substância foram retirados de circulação 1,4 toneladas, o que represente 70% do volume apreendido em Manaus.

Já no interior do Estado, as apreensões somam 3,8 toneladas, com a maconha respondendo por oito em cada dez quilos de entorpecentes apreendidos. Neste ano, entre os municípios do interior com maior volume de apreensões estão, pela ordem, Tabatinga, Anamã, Carauari, Tefé, Santo Antônio do Içá, Iranduba, Manacapuru, Novo Airão, Tonantins e Urucurituba – empatado com Maués.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here