Atendimento às pessoas em situação de vulnerabilidade marcam os primeiros 180 dias da gestão David Almeida

A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), tem levado assistência às famílias e indivíduos em situação de vulnerabilidade social na capital amazonense, desde os primeiros dias do ano. Com a gestão do prefeito David Almeida iniciando em meio à segunda onda da Covid-19, as primeiras ações foram voltadas para atender as pessoas que enfrentavam a dor da perda de entes queridos.

Como forma de melhorar o serviço realizado pelo SOS Funeral, o número de veículos para remoção de corpos foi ampliado de cinco para dez unidades, permitindo a remoção de até 30 corpos simultaneamente. Ao mesmo tempo, foram disponibilizadas duas câmaras frigoríficas no cemitério público Nossa Senhora Aparecida, localizado no bairro Tarumã, zona Oeste, para receber os corpos daqueles que morreram no horário noturno, garantido um enterro digno, assim como também foram disponibilizados assistentes sociais e psicólogos para acompanhar as famílias.

“Estávamos vivendo o período mais duro da pandemia, com falta de abastecimento de oxigênio nos hospitais e com o SOS Funeral fazendo uma média de 25 remoções diariamente. Nos preocupamos em adquirir urnas funerárias em número suficiente e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para todos os nossos servidores do SOS, para que pudessem trabalhar em segurança”, afirmou a titular da Semasc, Jane Mara Moraes.

Atualmente, o SOS Funeral atende uma média de cinco pessoas diariamente, com urnas funerárias, liberação das taxas cartorárias e traslado para sepultamento.

Auxílio Manauara

Afora a crise sanitária, o cenário econômico levou milhares de pessoas a sofrerem com o desemprego e a falta de renda. Por isso, foi criado o Auxílio Manauara, que contemplou 40 mil famílias com uma renda mensal de R$ 200 por seis meses, podendo ser prorrogada por mais seis meses. Em julho, será paga a sexta parcela do benefício.

O programa contemplou famílias que tinham crianças de 0 a 36 meses de idade ou, se família unipessoal, idosos acima de 60 anos. Também foram beneficiados trabalhadores informais acima de 18 anos. Essas famílias deviam ter renda per capita de até R$ 178.

Segurança Alimentar

No mês de fevereiro, com o número cada vez maior de pessoas internadas nos hospitais por conta do novo coronavírus, a Semasc começou a distribuir refeições e água na porta das unidades de saúde, que atendiam pessoas com Covid-19.

Diariamente, eram servidas mil refeições (almoço) e água na área externa do Hospital e Pronto Socorro (HPS) 28 de Agosto, na zona Centro-Sul, no HPS João Lúcio e HPS Platão Araújo, ambos na zona Leste. O público prioritário eram familiares de pacientes internados e pessoas em situação de rua. Além dos hospitais, postos de vacinação e Unidades Básicas de Saúde (UBSs) também receberam lanches, marmitas e água, destinados aos servidores que atuavam nesses espaços, na linha de frente do combate à doença.

Durante os primeiros seis meses de gestão, já foram distribuídas aproximadamente 6.200 cestas básicas às famílias atingidas pela cheia do rio Negro, assim como foram beneficiadas Organizações da Sociedade Civil (OSCs) e famílias em situação de vulnerabilidade, tanto na zona urbana quanto na área rural.

Operação Cheia 2021

Em conjunto com diversas secretarias municipais, a Semasc participou da operação Cheia 2021, fazendo o cadastro de famílias atingidas pela cheia para inserção no programa Auxílio Aluguel. Até o momento, 3.776 famílias de 15 bairros e de diversas comunidades ribeirinhas foram cadastradas. Desse total, 3.462 já foram contempladas com o auxílio, constituído de duas parcelas de R$ 300 e que são complementadas com o Auxílio Operação Cheia 2021, no valor de R$ 200, operacionalizado pelo Fundo Manaus Solidária (FMS).

Cidadania

Para facilitar o acesso das populações em situação de vulnerabilidade social aos diversos serviços municipais, a Semasc tem realizado ações de cidadania, tanto na capital quanto em comunidades ribeirinhas. Serviços como emissão de segunda via do RG e Certidão de Nascimento, orientações sobre Cadastro Único e Bolsa Família, cursos diversos, orientações jurídica e psicossocial, embelezamento, esmaltação de unhas, entre outros serviços já foram oferecidos a milhares de pessoas.

Campanhas e Ações

Durante os primeiros 180 dias, a Semasc realizou diversas campanhas, como o Março Lilás, em alusão ao Mês da Mulher, com ações realizadas no Centro de Referência dos Direitos da Mulher (CRDM), cozinhas comunitárias, lives sobre empreendedorismo, culinária, inteligência emocional, entre outras ações.

Também foram realizadas ações de sensibilização sobre direitos humanos, sobre os direitos dos autistas com a “Mobilização Azul”, combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes; à LGBTfobia; ao trabalho infantil; à violência contra o idoso, exposição fotográfica e de artesanato para celebrar o Dia do Índio, entre outras ações.

“Em um momento em que a pandemia provocada pela Covid-19 transporta a população para uma crise mundial, a defesa dos direitos humanos deve ser assumida como uma prioridade. Diante disso, realizamos diversas ações para sensibilizar a população abordando as diferentes temáticas. Como subsecretária responsável pelas Políticas Afirmativas para as Mulheres e Direitos Humanos esse tem sido um dos nossos compromissos”, afirmou a subsecretária Graça Prola.

Próximas ações

Entre as ações programadas pela Semasc para o segundo semestre, estão a inauguração do Prato do Povo, no conjunto Viver Melhor, zona Norte, que irá oferecer refeições pelo preço de R$ 1, reinauguração do Pronto Atendimento ao Cidadão (PAC) Manauara, na galeria Espírito Santo, Centro, novas ações de cidadania nas zonas urbana e rural, campanhas de sensibilização contra o tráfico humano, sobre a prevenção ao câncer de colo do útero, sobre a consciência negra, entre outras.

Texto – Leonardo Fierro/ Semasc