Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

Autazes – Fábricas de laticínios servem como modelo de negócio para Acre e Roraima

Com o intuito de incentivar e ampliar os negócios no interior do Amazonas, representantes da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti) visitaram, na sexta-feira (18/12), fábricas de laticínios em Autazes (distante 113 quilômetros de Manaus), município que desponta na produção de queijo e leite em todo o estado.

O titular da Sedecti, Jório Veiga, esteve acompanhado do secretário de Produção do Acre, Edivan Azevedo, e dos secretários de Fomento e de Produção Rural de Roraima, Adailton Fernandes e Emerson Baú, respectivamente, que estão interessados em saber como esse tipo de produção pode chegar ao mercado de ambos os estados. Também participaram da visita o secretário executivo de Desenvolvimento Econômico da Sedecti, Renato Freitas, e representantes do Sistema Sepror, que abrange a Secretaria de Produção Rural do Amazonas (Sepror) e suas afiliadas, Adaf, ADS e Idam.

A comitiva pôde acompanhar todo o processo de produção e também discutir as viabilidades técnicas do negócio, que devem ser implementadas no planejamento de produção rural do Acre e de Roraima.

O secretário Jório Veiga avaliou a visita como um bom momento para ampliar as políticas de incentivo a esse tipo de mercado no Amazonas.

“Ficamos muito entusiasmados em participar da visita a Autazes e poder conhecer três estabelecimentos produtores da Rota do Queijo: um flutuante – uma solução amazonense para que se ajuste às nossas condições locais – e dois em terra firme. Uma delas em implementação e outra já madura. Essa experiência nos deu a possibilidade de conhecer a realidade que vivem e as dificuldades existentes. Com isso, poderemos ajudar, por meio do estabelecimento de políticas públicas e ações específicas, além de trabalhar, através do APL (Arranjo Produtivo Local) estabelecido no PRDA (Plano Regional de Desenvolvimento da Amazônia), para acelerar o crescimento das atividades do setor”, declarou.

A visita foi articulada pelo Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam) e teve a participação dos representantes da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Amazonas (Adaf), além de empresários do setor de embutidos e fatiados.

Modelo – O secretário de Produção Rural de Roraima, Emerson Baú, mostrou-se interessado pelo modelo de negócio das fábricas de laticínios de Autazes e declarou que pretende introduzir ideias no plano de ação de produção rural de seu estado com base na experiência de Autazes.

“A maneira simples e pontual como estão sendo feitas as ações, mas focadas em eficiência e, principalmente, em resultado para o produtor, trabalhando a sua realidade para ficar de acordo com a legislação, é que fazem a grande diferença. Uma região já reconhecida pela qualidade do seu queijo agora vai passar a trabalhar de maneira ainda mais estruturada. A Rota do Queijo é um projeto muito interessante, e com certeza levaremos boa parte do que a gente viu para ser implantada no estado de Roraima”, declarou Emerson.

Para o secretário executivo de Desenvolvimento Econômico da Sedecti, Renato Freitas, o objetivo da ação foi poder ver de perto como esse segmento vem se desenvolvendo no mercado, além de identificar as dificuldades enfrentadas.

“A visita teve como objetivo conhecer melhor a cadeia de laticínios de Autazes e fazer levantamento de algumas dificuldades. Além disso, foi possível ter a oportunidade de conhecer algumas empresas que estão sendo preparadas para a produção do queijo, em especial a Atalac, que é uma empresa de médio porte que produz vários tipos de queijos e laticínios como iogurte, doce de leite, entre outros”, destacou Freitas.

Com a visita técnica, o Idam teve como proposta principal apresentar o projeto da Rota do Queijo para melhorar os incentivos e poder buscar mais tecnologias para o desenvolvimento sustentável da região e melhorias no apoio aos produtores do setor.

“Essa iniciativa de reunir os secretários foi no sentido de desenvolver ações conjuntas para os três estados e trocar experiências. Além disso, a presença da Sedecti foi de fundamental importância para poder ter uma percepção do que é a nossa cadeia leiteira, das nossas carências e necessidades. O apoio dessa Secretaria (Sedecti) tem uma importância socioeconômica muito grande que é essencial para trazer incentivos e alinhar soluções para a geração de emprego e renda e fortalecimento do agronegócio dessa região”, salientou a gerente de Produção Animal do Idam, Meyb Seixas.

Case de sucesso – Autazes se destaca como a terra do leite e, atualmente, o município conta com mais de 80 mil cabeças de gado e aproximadamente 800 criadores de bovídeos, de acordo com dados da Adaf. Ainda segundo o órgão, pelo menos oito indústrias de laticínio estão cadastradas no Serviço de Inspeção Estadual (SIE) e 86 estão em processo de legalização, a maioria de queijo.

A cidade conhecida como “terra do leite” é responsável por, aproximadamente, 11,6 milhões de toneladas que representam a produção de leite e derivados, tais como queijo, manteiga, iogurte, bebida láctea, requeijão, doce de leite e ricota, das empresas que são registradas no sistema do SIE da Agência.

FOTO: Divulgação/Sedecti

-publicidade-