Take a fresh look at your lifestyle.

Balsa da Petrobras chega a Manaus com tanque de 90 mil metros cúbicos de oxigênio para abastecer unidades de saúde

-publicidade-

Neste sábado (6/2), chegou a Manaus (AM) a balsa da Petrobras transportando o tanque criogênico da White Martins, com 90 mil metros cúbicos de oxigênio líquido para o abastecimento de hospitais.

O apoio logístico da Petrobras faz parte dos esforços para ampliar o fornecimento de oxigênio ao Amazonas. A embarcação, de 500 toneladas, é usada pela Petrobras para transporte de grandes equipamentos para a unidade de produção de petróleo e gás de Urucu, no Amazonas. O transporte fluvial permite movimentar volumes maiores de oxigênio em relação ao transporte aéreo.

A balsa veio de Belém (PA) e chegou ao Porto Encontro das Águas, unidade da Petrobras neste sábado. O oxigênio será transferido nos próximos dias para carretas da White Martins, seguindo os procedimentos operacionais e de segurança.

Juntos pelo Amazonas

A Petrobras se solidariza com a situação no Amazonas e vem acompanhando o agravamento e o aumento dos casos de Covid-19 no Brasil. A companhia integra o grupo Juntos pelo Amazonas, formado por 15 empresas e entidades que se reuniram para realizar uma ação solidária com o objetivo de apoiar a região. O grupo fará uma doação para o programa Unidos Contra a Covid-19 da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) no valor de R$ 1,6 milhão, referente a uma usina de produção de oxigênio, que deverá dar suporte aos hospitais públicos da região.

Outra iniciativa da companhia foi a doação de 42 ventiladores pulmonares a hospitais públicos de Manaus. Desenvolvidos pela Universidade de São Paulo (USP) em parceria com Petrobras e Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP), o novo modelo é de baixo custo, com tecnologia 100% brasileira, criado por uma equipe de engenheiros da universidade para suprir a necessidade emergencial de ventiladores durante a pandemia.

Alinhado às exigências da Associação de Medicina Intensiva do Brasil e aos requisitos para tratamento de Covid-19, o modelo recebeu autorização da Anvisa em agosto do ano passado. O projeto prevê a produção de 135 aparelhos no total e distribuição gratuita a hospitais públicos de todo país.

-publicidade-