A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) foi destaque no primeiro dia do Seminário de Educação promovido pelo Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Privado do Estado do Amazonas (Sinepe-AM), nesta terça-feira (14), no auditório do Colégio Martha Falcão, no bairro Adrianópolis. As professoras Núbia Breves, Eline de Lima e Maria das Graças Borges, que fazem parte da coordenação que é responsável pela elaboração do referencial curricular amazonense, apresentaram o trabalho realizado pela equipe de 28 educadores responsáveis pela redação do documento que norteará as instituições públicas e privadas do Estado na implementação da BNCC.

A Base Nacional Comum Curricular define o conjunto de aprendizagens essenciais que todos os alunos devem desenvolver ao longo das etapas e modalidades da educação infantil e do ensino fundamental. Também estabelece o que se espera que todos os estudantes desenvolvam ao longo da escolaridade básica.

“A BNCC pode ajudar a diminuir as desigualdades educacionais e a melhorar a qualidade da Educação do país. Então a elaboração do currículo é um passo essencial para que a BNCC se torne realidade nas escolas de todo o Amazonas”, destacou a presidente do Sinepe-AM, Elaine Saldanha.

Pela estrutura da BNCC, os estados tem autonomia para construção de currículos, em regime de colaboração com os municípios. No Amazonas, desde o mês de março, professores da rede pública e particular de ensino atuaram na produção do documento acrescentando habilidades e competências que serão essenciais serem desenvolvidas em cada período escolas.

A primeira versão do documento atualmente está disponível para consulta pública até o dia 9 de setembro no site http://basenacionalcomum.mec.gov.br/consultapublica/. Segundo a professora Núbia Breves, a ideia é que professores, gestores e a comunidade escolar possam enviar sugestões para deixar os currículos com a cara do Amazonas, atendendo às expectativas e necessidades específicas de cada rede, e incorporando a diversidade dos municípios ao documento.

A expectativa é que até o dia 20 de novembro o referencial curricular seja aprovado pelo Conselho Estadual de Educação (CEE). “No próximo ano, a meta é iniciar o trabalho de capacitação contínua de todos os professores, tanto de escolas públicas quanto privadas, além da adequação dos materiais didáticos, e repensar os métodos de avaliação”, informou Núbia.

Desde o início das discussões da BNCC, a categoria tem feito contribuições para o documento. O sindicato, inclusive, criou uma comissão para ajudar as instituições de ensino privado a revisarem e a elaborarem os currículos. No dia 21 de agosto, às 8h, as escolas particulares terão um encontro na sede da Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino do Amazonas (Seduc-AM) para discutir melhorias no conteúdo do referencial curricular.

Seminário de Educação

Nesta quarta-feira (15), o Seminário de Educação inicia às 18h, com a palestra da doutora em educação pela Universidade de São Paulo (USP) e redatora de diretrizes em tecnologias do MEC, Luciana Allan, que apresentará a palestra: “Como a liderança escolar pode apoiar processos de inovação educacional em busca de uma educação que faça mais sentido para os alunos?”. Ainda no segundo dia de evento, às 20h15, a médica psiquiatra Alessandra Pereira irá abordar ‘’O suicídio entre os jovens: Como enfrentar esse problema?’’.

No dia 16, o evento acontece mais cedo, às 14h, com a palestra “BNCC e a Educação Financeira, o que você docente sabe sobre isso?”, que será ministrada pela educadora financeira e assessora pedagógica da DSOP, Vera Lúcia Salgado. Às 15h, “Habilidades Socioemocionais na Escola”, será tema da apresentação da psicóloga e consultora pedagógica do Laboratório Inteligência de Vida, Márcia Frederico. A palestra de encerramento será às 16h15, com a diretora do Avalia Educacional, Isabel Farah Schwartzman, que irá falar sobre “O Novo Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here