Take a fresh look at your lifestyle.

Bebês prematuros internados vão ser levados para outros estados por falta de oxigênio no Amazonas

-publicidade-

A Secretaria de Estado da Saúde do Amazonas (SES-AM) anunciou nesta sexta-feira (15) que vai transferir para outros estados brasileiros bebês prematuros que estão internados em maternidades públicas, por conta da falta de oxigênio dos hospitais. A informação é do G1 São Paulo.

Segundo a SES-AM, os recém-nascidos serão transferidos após a autorização dos pais e acompanhados pelas mães nos voos que estão sendo preparados pelas autoridades.

O Amazonas não informou a quantidade de bebês que serão transferidos, mas disse que “técnicos da secretaria estão trabalhando no planejamento da logística de transferência” e os recém-nascidos “passarão por avaliação clínica” para saber se têm condições de transferência.

Os estados que receberão os bebês transferidos ainda não foram divulgados, mas nesta sexta-feira, o governo de São Paulo anunciou que vai disponibilizar leitos e assistência médica para bebês e gestantes que correm o risco de ficar sem oxigênio.

Segundo a Secretaria de Saúde, o Maranhão deve receber ao menos nove bebês prematuros de Manaus. A informação é do Secretário de Saúde do Maranhão, Carlos Lula, que também é presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS). Os bebês devem chegar ainda nesta sexta-feira (15) no Aeroporto de Imperatriz, no interior do estado.

O governo do Paraná também ofereceu leitos de UTI neonatal para pacientes do Amazonas nesta sexta (15). De acordo com a secretaria estadual do Paraná, há a necessidade de transferência de 61 pacientes recém-nascidos.

Além de São Paulo e Paraná, o governo de Minas Gerais, também anunciou na tarde desta sexta que vai disponibilizar leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pediátricas para crianças do Amazonas. O anúncio foi feito pelo governador Romeu Zema (Novo) durante visita a Juiz de Fora nesta sexta-feira (15).

Durante a coletiva de imprensa, o governador João Doria demonstrou irritação com a falta de oxigênio para bebês em Manaus.

“Acabo de falar com o secretário de Saúde e São Paulo atenderá integralmente esses 60 bebês. Eu já pedi a ele, ao término da coletiva, para falar com o secretário de estado do Amazonas. Nós acolheremos todos os bebês que puderem ser transportados aqui pra SP. É o fim do mundo isso. Pra quem é pai e quem é mãe, não tem oxigênio pra bebê? A irresponsabilidade do governo Bolsonaro, me choca isso, como brasileiro”, disse Doria.

Paraná oferece leitos

O Paraná ofereceu 25 leitos de UTI neonatal para pacientes do Amazonas, segundo a Secretaria Estadual da Saúde (Sesa). O pedido de ajuda foi feito pelo Ministério da Saúde.

Não há confirmação de que o Paraná vá receber de fato os bebês. Segundo a Sesa, se a transferência acontecer, o transporte deve ser realizado pelo Ministério da Saúde.

Os leitos oferecidos ficam em Campo Largo, na Região Metropolitana de Curitiba. São 15 leitos de UTI neonatal no Hospital do Rocio e outros 10 no Hospital Infantil Waldemar Monastier, em Campo Largo.

Matéria publicada pela G1 São Paulo

-publicidade-