Take a fresh look at your lifestyle.

Boi Caprichoso reconhece história de Waldir Santana para o Festival de Parintins

-publicidade-

 

Três décadas dedicadas ao Boi-Bumbá Caprichoso como item, artista plástico de fantasias, coreógrafo e até compositor. Esta é a história de Waldir Santana que se despede oficialmente da nação azul e branca nesta quarta-feira, 28 de setembro, para se juntar a galera do Caprichoso. No 51º Festival Folclórico de Parintins, ele defendeu pela última vez o item e com direito a toada especial “A Trigésima Dança”. É considerado um dos itens mais antigos na festa da Ilha Tupinambarana.

Waldir Santana colocou o cargo à disposição do presidente do Boi-Bumbá Caprichoso, Babá Tupinambá, na noite desta terça-feira, 27. Ele marcou e fez história no Boi Caprichoso. Ao longo dos 30 anos de trajetória, confeccionou a própria fantasia, deu dinâmica ao item pajé, até então considerado comum, e o revolucionou no contexto da encenação, teatralização nos espetáculos de arena.

“E um filme passa lento e prazeroso em meus pensamentos. Ontem, mais um ciclo se encerrou e é com sensação de dever cumprido que deixei o presidente do Boi Caprichoso à disposição o item 12, pajé. Foram 30 anos de dedicação, uma vida de lutas, glórias, entrega, alegrias, tristezas, vitórias, criações, inovações, desenvolvimento de projetos para o item individual, ensaios, noites e noites em claro, pois além de item, eu sempre trabalhei como artista plástico dentro do boi com muito orgulho”, descreve o artista.

E Waldir continua a falar sobre os momentos vividos no Caprichoso: “E uma coisa eu lhes digo, não é fácil. Levo na memória os inúmeros momentos maravilhosos que o pajé me proporcionou e olho pra trás com orgulho do legado deixado. Levo também as marcas no corpo em forma de cicatrizes de uma trajetória difícil, marcada por alguns acidentes dentro arena, e me surpreendo ao lembrar da força de vontade que me fazia voltar às apresentações como se nada tivesse acontecido”.

Ele agradece ao Boi-Bumbá Caprichoso por todas as oportunidades concedidas. “Por ter levado meu nome pro Brasil e pro mundo, através da linda vitrine que é o Festival de Parintins, à minha família pelo incondicional apoio nas decisões. Saibam que sem vocês eu não sou nada. Ao meu amigo e presidente Babá Tupinambá pela confiança em meu trabalho e a todos os torcedores do festival pelas mensagens de reconhecimento e carinho. Estou muito emocionado com tudo que leio, pois é a certeza que todos esses anos de dedicação valeram a pena! Eu me despeço apenas do item pajé, mas a minha trajetória continua como artista do nosso Boi Caprichoso. Estou disponível e envolvido em todos os segmentos, desde já pensando em novidades para abrilhantar ainda mais a nossa festa”, conclui.

-publicidade-