A política de segurança do governo do presidente eleito Jair Bolsonaro também deve buscar inspiração na experiência do ex-prefeito de Nova York, Rudolph Giulliani. No Amazonas, o projeto GuardiAM 24 horas, baseado na consultoria internacional de segurança, está em fase de implantação pelo governador Amazonino Mendes desde o início deste ano.

Nesta quarta-feira (28/11), enquanto o filho de Bolsonaro, o deputado Eduardo Bolsonaro, se reunia com Rudolph Giuliani em Nova York, os técnicos da Giuliani Security & Safety (GSS) visitam municípios do interior para realização do diagnóstico das fronteiras. Os especialistas começaram a viagem na terça-feira (27). Sete integrantes da consultoria internacional passarão por Tefé, Tabatinga e São Gabriel da Cachoeira. Os consultores da empresa norte-americana vão encontrar autoridades de Segurança Pública brasileiras, lotados nas cidades.

Em sua página nas redes sociais, Eduardo Bolsonaro elogiou o ex-prefeito no combate ao crime e disse que a experiência implantada por ele coincide com as metas do novo governo. “Sua experiência em ter salvo NY da criminalidade – cidade tida como caso perdido pelos americanos nos anos 1990 – vai de encontro ao que pensamos para o Brasil: tolerância zero no combate ao crime”, escreveu o filho do presidente eleito.

Em São Gabriel da Cachoeira, município distante 851 quilômetros em linha reta de Manaus, a equipe da GSS vai visitar as sedes das polícias Civil e Militar da cidade e dialogar com autoridades sobre a segurança da região, o controle do narcotráfico e demais crimes transfronteiriços. As equipes da GSS devem encontrar com autoridades da Polícia Militar do Amazonas, do Exército Brasileiro, da Polícia Civil do Estado do Amazonas, do Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM), da Marinha do Brasil, da Prefeitura do município, Fundação Nacional do Índio (Funai) e do Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei).

Nesta quarta-feira (28), os consultores, ainda em São Gabriel da Cachoeira, visitaram as instalações da Polícia Federal e da Marinha do Brasil e realizaram um reconhecimento fluvial da cidade, passando pelas instalações fluviais do Exército Brasileiro e acompanharam as rotinas de abordagem na região. A equipe retorna a Manaus na quinta-feira (29) e segue para os Estados Unidos na sexta-feira (30).

Uma segunda equipe da consultoria GSS seguiu, na terça-feira (27), para Tabatinga, a 1.108 quilômetros da capital em linha reta, onde estava previsto que acompanhasse operações da Polícia Militar, Polícia Federal, Exército Brasileiro e Força Nacional de Segurança Pública nos portos da cidade. Em seguida, a equipe irá a Benjamin Constant, localizado a 1.112 quilômetros de Manaus em linha reta, onde os consultores vão acompanhar operações da Polícia Militar.

Os membros desta segunda equipe norte-americana retornam a Tabatinga e, assim como a primeira equipe, devem encontrar autoridades de segurança na cidade fronteiriça, para levantar informações sobre a estratégia e operações de repressão à criminalidade na região da tríplice fronteira (Brasil, Colômbia e Peru).

Os consultores vão seguir visitando o Ministério Público Federal e a Polícia Colombiana para verificar a participação do órgão estrangeiro no combate aos crimes internacionais registrados na região da fronteira.

Eles seguem para Tefé onde também vão encontrar autoridades de segurança e visitar as sedes das polícias da cidade. O retorno a Manaus desta segunda equipe também está marcado para quinta-feira (29), onde encontrará a primeira equipe para retornar aos EUA.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here