O Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM) recebeu, nesta semana, a turma do 3º Curso de Operações de Choque da Polícia Militar do Amazonas (PMAM). No total, são 14 policiais militares, sendo 11 do Amazonas, um de Santa Catarina, um de Roraima e um do Acre.

Os militares receberam treinamento diferenciado de técnicas de combate a incêndio e atendimento pré-hospitalar. De acordo com o comandante-geral, coronel QOBM Danízio Valente Neto, a integração das corporações é de fundamental importância para o desenvolvimento dos serviços prestados à sociedade.

“Há uma troca de conhecimento. Estamos recebendo policiais de outros estados da Federação, em um curso que leva seus alunos à situações de extrema pressão, tanto física quanto psicológica, para estarem prontos em uma ocorrência real. Aqui, nossos bombeiros militares repassam orientações de ações cruciais no salvamento de vítimas em sinistros e ocorrências de grande vulto”, explicou o comandante-geral.

O 1º Sargento QPBM Ewerton Augusto é um dos instrutores de combate a incêndio e conta alguns dos procedimentos ensinados durante a instrução. “O treinamento é voltado para situações de distúrbio. O policial aprende a montar linhas de mangueira e a manusear os extintores de incêndio para ser a primeira resposta em ocorrências que tenham barricadas, rebeliões em presídios e reintegração de posse”, disse o instrutor.

Para o tenente QOPM Talisson Gabriel, monitor do curso, a atividade os capacita para as mais diversas ações. “Essa etapa no Corpo de Bombeiros nos prepara para atuar em ocorrências que tenham barricadas, ou que envolva fogo. Nosso aprendizado é para efetuarmos uma ação rápida, eficiente e eficaz onde não haja dano para a sociedade”, revelou o monitor.

Vindo do Estado de Roraima, o soldado Márcio Azad conta sua experiência durante a instrução no Corpo de Bombeiros. “Nosso curso é voltado para a desobstrução de vias, atendimento de ocorrências dentro do sistema prisional e tudo isso, muitas vezes, envolve fogo. Então, é muito importante saber controlar a situação até a chegada dos bombeiros militares”, disse o aluno.

Sobre a formação – O curso teve início no dia 28 de janeiro deste ano com 23 inscritos, sendo 22 policiais e um agente penitenciário do Espirito Santo (ES). Desse montante, 14 seguem firmes pela conquista da formação, que é um diferencial para o currículo desses agentes de segurança pública.

O comandante do Batalhão de Choque PMAM e diretor do curso, major Agnelo Batista de Lima Junior, explica que é necessário rusticidade para forjar policiais preparados para atender ocorrências dessa natureza. “Na formação, os alunos aprendem como trabalhar em controle de distúrbio civil, gerenciamento de crise, emprego de instrumentos de menor potencial ofensivo, intervenção prisional dentre outras modalidades. Tudo isso passando por rigorosa pressão física e psicológica, preparando o policial para em uma situação de alto risco, agir com precisão e eficiência”, contou o diretor.

FOTO: TENENTE TALISSON GABRIEL E 2º SARGENTO DENIS WILSON