Os avanços da ciência continuam visíveis no mercado. Quem trabalha ou consome os produtos de corporações especializadas em high tech deve ficar de olho nas novidades da área.

Com a recuperação dos índices da indústria, bem como a expansão dos setores de telecomunicações e TI, o Brasil criou 13,9 mil empresas de tecnologia em 2017. É um crescimento de 12% em comparação ao ano anterior. Assim, no país existem 195 mil companhias registradas em ramos relacionados. O levantamento é um indicativo do inevitável: as máquinas vieram para ficar.

Os dados são da consultoria Neoway, feitos a partir de informações do CNAE – Cadastro Nacional de Atividades Econômicas. Uma das maiores tendências é a automatização. No caso das operações de chamadas, as ferramentas digitais auxiliam encolhendo custos e adiantando rotinas.

Discadores automáticos, por exemplo, ajudam a otimizar os processos. Com uma URA Ativa é possível programar ligações para o consumidor: ele ouvirá um áudio com uma mensagem ou uma opção de atendimento. “É uma ótima forma de reduzir os gastos e trazer mais agilidade para a organização”, explica Carlos Henrique Mencaci, presidente da Total IP – Soluções e Robôs para Contact Centers.

Atualizar-se é indispensável. Afinal, de acordo com estudo global da Unisys, a falta de modernização adequada é um empecilho para a produtividade. Segundo a pesquisa, quem trabalha em corporações com inovações defasadas têm probabilidade 500% maior de se frustrar e é 600% mais propenso a pensar em desistir do emprego.

“A tecnologia deve ser aliada da competência humana. Entender esse detalhe garante a bem-sucedida adaptação ao mundo dos robôs, além de assegurar melhores resultados no mercado”, finaliza Mencaci.

Serviço: Brasil cria 13,9 mil empresas de tecnologia

Fonte: Carlos Henrique Mencaci – presidente da Total IP