Brasil tem a maior taxa de ansiedade do mundo

Segundo a OMS, 9,3% dos brasileiros convivem com a patologia

Dados recentes divulgados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que 9,3% dos brasileiros apresentam os sintomas de ansiedade. Infelizmente, o Brasil é o líder mundial na patologia, apresentado números três vezes maiores que a média mundial. Na América do Sul, por exemplo, os índices brasileiros superam países que se encontram em estado alarmante quando o assunto é ansiedade, entre eles Paraguai (7,6%), Chile (6,5%) e Uruguai (6,4%).

Hoje, os transtornos derivados da ansiedade já são a terceira razão de afastamentos do trabalho no Brasil, sendo que os gastos do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) giram em torno de R$ 200 milhões em pagamentos de benefícios anuais, de acordo com dados da Previdência Social. Segundo Dr. Massimo Colombini, médico da família do aplicativo Docway, acredita-se que esses números são decorrentes dos conflitos sócio-ecônomicos, da violência, trânsito nas grandes cidades, e instabilidade política, que geram grande tensão na população, situação que se agravou nos últimos anos aqui no Brasil. Mas afinal de contas, o que é ansiedade, quais seus sintomas, e como previnir-lá? O médico explica que a ansiedade é que uma resposta subjetiva ao estresse sofrido por um indivíduo, para a medicina existem dois tipos de transtono o Transtono de Ansiedade Generalisada (TAG) e a Síndrone do Pânico, ambos constinuem doenças graves e precisam ser tratados por um psiquiátra com o uso de medicamentos adequados para o controle dos sintomas e em alguns casos com a possibilidade de cura em alguns casos.

Quanto aos sintomas, o médico explica que eles podem variar de acordo com cada paciente. “Os sintomas são muito variáveis, desde uma sensação de angústia, mal-estar, coração acelerado, desatenção, tremores, entre outros. O que pode levar a sentimentos de grande desespero com prejuízos a vida de quem sofre com esse transtorno”, comenta. Assim como o tratamento, ele também vai variar de acordo com cada paciente, o grau de estresse, de ansiedade de cada indivíduo. “A forma com que a pessoa lida com a ansiedade é muito individual, quando ela procura ajuda no consultório procuro analisar a melhor forma de trabalhar o problema para que os resultados sejam satisfatórios”, completa o médico.

Confira dicas especiais do especialista para controlar a ansiedade:

1. Pratique atividades físicas: nosso corpo produz endorfina que é um hormônio que propicia uma sensação de bem-estar, satisfação e relaxamento;

2. Beba água: considerada um “calmante” natural, é fundamental e ajuda no controle da ansiedade;

3. Respire lentamente: o simples fato de respirar lenta e profundamente algumas vezes acalma.;

4. Conversar/desabafar com pessoa amiga, profissional de saúde, terapeuta ou coach: resulta em grandes benefícios e pode contribuir para reduzir bastante a ansiedade;

5. Atividades em contato com a natureza ou animais: traz paz e sensação de plenitude para a maioria das pessoas;

6. Técnicas de meditação ou atividades de relaxamento: mindfulness, yoga, pilates, exercícios de alongamento e Lian Gong;

7. Música e dança: são atividades excelentes, procure uma que você goste;

8. Atividades artísticas e culturais: desde fazer um simples desenho, escrever uma poesia, uma crônica ou uma história, até pintar um quadro, atividades manuais ou artesanato podem trazer grandes benefícios;

9. Compreender que “preocupações” muitas vezes são apenas “pré-ocupações”, assim o simples fato de refletir em cada situação que gera ansiedade se existe algo a ser feito naquele determinado momento, se tiver atuar sobre a situação e deixar de pensar; e se não tiver nada a ser feito procurar pensar em situações agradáveis que distraiam a mente.

10. reconnective healing/ cura reconectiva: desenvolvida nos Estados Unidos e utilizada no mundo todo, promove bem-estar, equilíbrio físico e emocional.

Compartilhe