Amazonas Notícias

Caio André denuncia diminuição do adicional salarial de insalubridade de servidores da saúde

Vereador exige explicações sobre a redução do benefício de 7% para 5% na Semsa

Nesta terça-feira (9), durante Sessão Plenária na Câmara Municipal de Manaus (CMM), o vereador Caio André (União Brasil) denunciou a redução do adicional de insalubridade dos servidores da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) do laboratório da zona leste, de 7% para 5%. A redução ocorreu após uma visita da Divisão de Qualidade de Vida no Trabalho (DIQVT-Semsa), que classificou as atividades dos profissionais como de risco moderado.

A avaliação técnica seguiu a Norma Regulamentadora Nº 15 (NR15), que define as atividades insalubres e os percentuais de adicional. Segundo a DIQVT-Semsa, as atividades realizadas pelos servidores enquadram-se no risco biológico correspondente a um adicional de apenas 5%.

“Nós queremos, assim como foi trazido pelo Sindicato dos Farmacêuticos do Amazonas, que a NR15 seja considerada, à risca, com as suas alterações e que esses profissionais tenham, como os trabalhadores das outras zonas, o adicional de insalubridade em 7%”, enfatizou Caio André.

O parlamentar destacou que essa redução pode afetar profissionais de outras zonas de Manaus, já que executam os mesmos serviços que o laboratório da zona leste. “Os trabalhadores correm risco biológico, risco químico, físico e sonoro para os farmacêuticos, biomédicos, técnicos de patologia e auxiliares de patologia, e demais profissionais que atuam neste local. O risco não é moderado, é elevado assim como a NR15 já preconizava desde o início, e como até o final de novembro de 2023 estes servidores recebiam”, detalhou Caio André.

O vereador informou que seu gabinete encaminhará um requerimento à Semsa para que responda ao sindicato e à Câmara sobre a diminuição de 2% no adicional de insalubridade desses profissionais.

Relacioandos