Take a fresh look at your lifestyle.

Câmara promoverá série de audiências públicas sobre Saneamento Básico

-publicidade-

Requerimento solicitando a realização de audiências públicas para tratar sobre a problemática do saneamento básico da cidade foi aprovada pela Câmara Municipal de Manaus (CMM), nesta quarta-feira (09). As audiências, de iniciativa do vereador professor Bibiano (PT), serão feitas no âmbito da Comissão de Legislação Participativa (Comlep).

A proposta do parlamentar de realização da série de audiências está em concordância com a Campanha da Fraternidade Ecumênica deste ano, cujo tema é “Casa Comum, nossa responsabilidade” e lema “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” (Am 5,24). As audiências ocorrerão em todas as zonas da cidade.

Com base em informações do Instituto Trata Brasil, Manaus ocupa a 92ª posição, no ranking, de um total das 100 maiores cidades do País em termos de Saneamento Básico. É importante destacar que, segundo Bibiano, essa situação não deixa de ser contraditória, uma vez que a cidade foi uma das que mais recebeu investimento do Governo Federal nos últimos anos – um total de R$ 79,35 milhões no ano.

De acordo com Bibiano, o atual cenário de saneamento básico, em Manaus, é extremamente preocupante, por isso, essa temática possui importância inquestionável por atingir grande parcela da população. “Lamentavelmente, Manaus não possui Plano Municipal de Saneamento Básico e pretendemos contribuir com a implementação do Plano por meio das audiências a partir da contribuição de todos”, ressalta o vereador.

Campanha da Fraternidade – Nesta quarta-feira, ocorreu a sessão especial para tratar sobre a Campanha da Fraternidade 2016. O arcebispo de Manaus, Dom Sérgio Castriani, foi representado pelo pároco da Catedral de Nossa Senhora da Conceição, Padre Charles Cunha. O arcebispo não pode comparecer devido a um problema de saúde.

A autoria da sessão foi do vereador Bibiano, sendo subscrita pelos vereadores Waldemir José e Elias Emanuel. Durante discurso, padre Charles Cunha leu mensagem encaminhada pelo arcebispo. No texto, dom Sérgio destacou que a Campanha da Fraternidade está inserida na dimensão profética da igreja católica e tem por principal finalidade trazer um tema de interesse, no caso deste ano, o Saneamento Básico, para a reflexão da sociedade.

Ele apontou que é inquestionável o atraso quanto a essa questão e ainda que é necessário investimento do poder público, pois a população cumpre com o seu papel, pagando os impostos que viabilizarão investimentos. Dom Sérgio Castrianni enfatizou também, no documento, que já se tem legislação a respeito e é preciso que seja aplicada.

Conforme padre Charles Cunha, a problemática pela qual o País passa, atualmente, quanto ao aumento de casos de dengue, zika vírus, chikungunya é consequência da falta de saneamento básico e se houvesse investimento na área, o Brasil não seria visto pelo mundo como um lugar onde se prolifera essas doenças. Cunha salientou que é o momento de mudar essa realidade e para isso, “é hora de todos fazermos algo e vivermos essa fraternidade de preservar a vida, o planeta e assim, estaremos nos preservando”.

Câmara promoverá série de audiências públicas sobre Saneamento Básico

Requerimento solicitando a realização de audiências públicas para tratar sobre a problemática do saneamento básico da cidade foi aprovada pela Câmara Municipal de Manaus (CMM), nesta quarta-feira (09). As audiências, de iniciativa do vereador professor Bibiano (PT), serão feitas no âmbito da Comissão de Legislação Participativa (Comlep).

A proposta do parlamentar de realização da série de audiências está em concordância com a Campanha da Fraternidade Ecumênica deste ano, cujo tema é “Casa Comum, nossa responsabilidade” e lema “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” (Am 5,24). As audiências ocorrerão em todas as zonas da cidade.

Com base em informações do Instituto Trata Brasil, Manaus ocupa a 92ª posição, no ranking, de um total das 100 maiores cidades do País em termos de Saneamento Básico. É importante destacar que, segundo Bibiano, essa situação não deixa de ser contraditória, uma vez que a cidade foi uma das que mais recebeu investimento do Governo Federal nos últimos anos – um total de R$ 79,35 milhões no ano.

De acordo com Bibiano, o atual cenário de saneamento básico, em Manaus, é extremamente preocupante, por isso, essa temática possui importância inquestionável por atingir grande parcela da população. “Lamentavelmente, Manaus não possui Plano Municipal de Saneamento Básico e pretendemos contribuir com a implementação do Plano por meio das audiências a partir da contribuição de todos”, ressalta o vereador.

Campanha da Fraternidade – Nesta quarta-feira, ocorreu a sessão especial para tratar sobre a Campanha da Fraternidade 2016. O arcebispo de Manaus, Dom Sérgio Castriani, foi representado pelo pároco da Catedral de Nossa Senhora da Conceição, Padre Charles Cunha. O arcebispo não pode comparecer devido a um problema de saúde.

A autoria da sessão foi do vereador Bibiano, sendo subscrita pelos vereadores Waldemir José e Elias Emanuel. Durante discurso, padre Charles Cunha leu mensagem encaminhada pelo arcebispo. No texto, dom Sérgio destacou que a Campanha da Fraternidade está inserida na dimensão profética da igreja católica e tem por principal finalidade trazer um tema de interesse, no caso deste ano, o Saneamento Básico, para a reflexão da sociedade.

Ele apontou que é inquestionável o atraso quanto a essa questão e ainda que é necessário investimento do poder público, pois a população cumpre com o seu papel, pagando os impostos que viabilizarão investimentos. Dom Sérgio Castrianni enfatizou também, no documento, que já se tem legislação a respeito e é preciso que seja aplicada.

Conforme padre Charles Cunha, a problemática pela qual o País passa, atualmente, quanto ao aumento de casos de dengue, zika vírus, chikungunya é consequência da falta de saneamento básico e se houvesse investimento na área, o Brasil não seria visto pelo mundo como um lugar onde se prolifera essas doenças. Cunha salientou que é o momento de mudar essa realidade e para isso, “é hora de todos fazermos algo e vivermos essa fraternidade de preservar a vida, o planeta e assim, estaremos nos preservando”.

-publicidade-