As Principais Notícias do Estado do Amazonas estão aqui!

Caminhada contra o abuso e à exploração sexual infantojuvenil percorre as ruas da zona Sul

Dezenas de crianças e adolescentes de escolas municipais e estaduais foram às ruas, levantando cartazes e faixas, na Caminhada em Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infantojuvenil, promovida pela Prefeitura de Manaus, nesta sexta-feira, 24/5, pelas ruas do Japiim, zona Sul.

O ato foi organizado pela Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc). O evento marca o dia 18 de maio, data em que é firmada a luta contra o abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes.

“O compromisso do prefeito Arthur Virgílio Neto e da presidente do Fundo Manaus Solidária, a primeira-dama Elisabeth Valeiko, é de combater o abuso e a exploração sexual infantil, juntamente com a rede de proteção. O Executivo municipal trabalha essas violações de direitos, não somente neste mês alusivo, mas durante todo ano, utilizando os equipamentos socioassistenciais. Estamos garantindo a infância e a liberdade dos pequenos”, disse a secretária da Semasc, Conceição Sampaio.

Alunos da rede estadual e municipal, acompanhados dos pais e professores, crianças e adolescentes do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), conselheiros tutelares, profissionais da Secretaria Estadual de Assistência Social (Seas), e a população que passava pelo local, caminharam em prol do combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes.

Nas ruas, o material informativo foi distribuído aos moradores e à população do entorno, sensibilizando e orientando quanto às violações dos direitos das crianças, divulgando os canais de denúncias e da rede de proteção.

A estudante Emanuele de Brito, de 15 anos, participou do ato. “A caminhada, tem a importância de conscientizar as pessoas que o abuso contra crianças e adolescentes é uma coisa muito ruim e pode causar sérios danos à saúde mental e psicológica da criança, porque ela não tem força para se defender e todos nós juntos vamos lutar pelos nossos direitos”, relatou.

Dados

Dados de janeiro a abril deste ano apontam que estão sendo acompanhados pelos Creas, 81 casos de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes. Os disques-denúncias do município registraram 31 casos de abusos e dois de exploração sexual infantojuvenil.

“Temos o conselho tutelar, Saúde, Educação e toda a rede de proteção para defender e empoderar as crianças e adolescentes, para que saibam se defender e onde recorrer, caso aconteça a violência”, afirmou a chefe de divisão de média complexidade da Semasc, Ana Lúcia.

Denúncias

A rede de proteção possui três canais de comunicação para quem sofrer ou conhecer qualquer situação de violação de direitos envolvendo crianças e adolescentes: Disque Direitos Humanos – 0800 092 6644; Disque Denúncia – 0800 092 1407 e Disque Direitos Humanos Nacional – 100.

Texto: Jordana Santos / Semasc

Foto: Altermar Alcântara / Semcom

você pode gostar também