33.3 C
Manaus
quarta-feira, fevereiro 21, 2024

Campanha “Tributar os Super-Ricos” pressiona por justiça fiscal e taxação de fortunas

A Campanha “Tributar os Super-Ricos”, formada por mais de 70 organizações, está intensificando seus esforços para promover a taxação de fortunas e altas rendas no Brasil. Isso ocorre em resposta a novos estudos que revelam um aumento na concentração de riqueza, tanto no país quanto globalmente.

O movimento, que visa alterar o sistema tributário brasileiro considerado injusto por muitos, é apoiado por estudos e projetos que propõem uma tributação mais equitativa. Dão Real Pereira dos Santos, presidente do Instituto Justiça Fiscal e um dos coordenadores da campanha, destaca a importância de corrigir as distorções que colocam o Brasil entre os países mais desiguais do mundo.

A reforma tributária aprovada em 2023, que tratou dos tributos sobre o consumo, é vista apenas como um primeiro passo. A necessidade de reformar a tributação da renda para aliviar a carga sobre os mais pobres e aumentar a dos mais ricos é enfatizada, embora haja desafios políticos para sua implementação.

A campanha também aborda o crescente abismo de renda no Brasil, citando um relatório da Oxfam que mostra um aumento significativo na riqueza dos bilionários brasileiros, enquanto a maioria da população ficou mais pobre. A disparidade racial na renda também é um foco de atenção.

Outra questão destacada é a isenção tributária desproporcional de que gozam os produtores rurais, contribuindo para o aumento da desigualdade de renda no país. Um estudo do IPEA, divulgado pela Fundação Getúlio Vargas, indica que a renda rural da elite agropecuária triplicou em cinco anos, enquanto a média nacional cresceu muito menos.

A campanha também busca popularizar o debate sobre justiça fiscal por meio de quadrinhos criados pelo cartunista Renato Aroeira, disponíveis no site do Instituto Justiça Fiscal. Esses quadrinhos visam tornar a discussão sobre tributação mais acessível e destacar a necessidade de mudanças para promover uma distribuição de renda mais justa.

Entre as principais propostas da campanha estão a correção das distorções no Imposto de Renda da Pessoa Física, a implementação de um Imposto Sobre Grandes Fortunas, o aumento da CSLL para setores específicos, a criação da Contribuição sobre Altas Rendas das Pessoas Físicas, a redução de tributos para microempresas e a instituição de uma CIDE sobre agrotóxicos. Estas medidas visam promover um sistema tributário mais progressivo e justo.

spot_img