As Principais Notícias do Estado do Amazonas estão aqui!

Campeonato Amazonense de Beach Wrestling agita praia da Ponta Negra

Mais de cem atletas participaram, neste sábado (24/08), do 2º Campeonato Amazonense de Beach Wrestling, promovido pela Federação Amazonense de Luta Livre Esportiva e Luta Olímpica (Falle) e que contou com o apoio da Secretaria de Estado de Juventude, Esportes e Lazer (Sejel). O evento aconteceu no Complexo Turístico da Ponta, zona oeste de Manaus, e atraiu quem aproveitava o final de tarde.

O evento reuniu lutadores da capital e do interior, que foram divididos nas seguintes categorias: Infantil (7 a 14 anos), Cadete (15 a 17 anos), Sênior (acima de 18 anos) e Master (acima de 35 anos), mostrando que a modalidade tem ganho cada vez mais adeptos no Amazonas.

Para o presidente da Falle, Waldeci Silva, a competição superou as expectativas. “Tendo em vista o beach wrestling ser uma modalidade nova aqui no estado, o mais surpreendente foi a quantidade de inscritos e o interesse do público, que compareceu e acompanhou até o fim a competição. Acredito que cada vez mais adeptos surgirão para praticar esse esporte”.

Família de campeões- Com apenas oito anos de idade, Anderlan Gemerson faturou o ouro na categoria Infantil e afirmou que treinou bastante para a sua primeira disputa. “Foi minha primeira vez competindo e gostei muito de lutar na areia. Também faço jiu-jítsu com meu irmão e minha mãe, e treinamos juntos para fazer bonito no campeonato”, contou.

O irmão de Anderlan, Michel dos Santos, também estreou no beach wrestling. Aos nove anos, ele também garantiu um ouro para a coleção. “Não foi muito difícil porque eu estava preparado e eu achei a competição muito legal”, explicou.

A mãe dos campeões, Adriana Prado, de 28 anos, que também participou da competição, contou como entrou no mundo das lutas. Atleta de jiu-jítsu da FJ Team, ela se apaixonou pelo esporte ao acompanhar os filhos nos treinos. “Me apaixonei pelo jiu-jítsu por conta deles (filhos). Comecei a praticar, fui tomando gosto e hoje competimos sempre juntos. O mestre Pereirinha, que é nosso professor, nos incentivou bastante e conseguimos um excelente resultado, pois foram dois ouros e uma prata para levar para casa”, destacou.

Adriana falou ainda que o esporte tem o poder de transformar e resgatar as pessoas e busca levar esses valores para crianças e jovens da família, contribuindo para que tenham uma vida saudável e boas oportunidades no futuro.

O auxiliar de refrigeração Gildiney dos Santos, de 28 anos, falou com orgulho da esposa e dos filhos, que garantiram um lugar no pódio. “É sempre bom ver minha família campeã e eu estou orgulhoso com o resultado. Eles se esforçaram e treinaram muito para fazer bonito e levar essas medalhas para casa”, vibrou.

Próximo evento -A próxima competição prevista da modalidade será a Rei da Praia, que também vem como uma forma de destacar a Luta Olímpica na areia e permitir que mais adeptos possam participar.

O Beach Wrestling segue as mesmas regras da luta olímpica convencional com apenas uma mudança, ao invés do tapete, as lutas são realizadas na areia. Os atletas lutam dentro de uma área circular delimitada por uma fita ou corda em solo arenoso.

Aceitação – O presidente da Falle comemorou a aceitação do esporte, principalmente entre lutadores de outras modalidades como o judô, luta olímpica, jiu-jitsu que, segundo ele, estão se familiarizando com o esporte, que tende crescer muito no estado.

Na oportunidade, Waldeci aproveitou para agradecer o apoio na realização da competição. “Agradeço ao secretário da Sejel, Caio André, por sempre nos apoiar nas competições e pelo incentivo ao esporte. O beach wrestling tem muito a crescer ainda e saber que podemos contar com a Sejel é de grande valia não apenas para o esporte, mas para os novos talentos que surgirão com esse incentivo”, finalizou.

Foto: Mauro Neto / Sejel

você pode gostar também