Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

Caprichoso brinca de boi, emociona e leva mensagem de apoio ao povo Yanomami

Tricicleiros, lamparineiros, vaqueiros, Dona Aurora, Gigante, Pai Francisco, Mãe Catirina, torcedores, itens individuais, coletivos, boi-bumbá, embalados por toadas de todos os tempos, fizeram um trajeto diferente, desta vez via transmissão ao vivo rumo à casa da nação azulada em todo o mundo pela TV Acrítica e canal oficial do bumbá no YouTube. A noite ficou marcada por homenagens aos ícones da história do Boi Caprichoso no palco tradicional montado no galpão central de alegorias.

O levantador de toadas, Patrick Araújo, interpretou a trilha sonora do espetáculo dividida nos blocos Boi de Rua, Tradição, Pop e Tribal até a apoteose com todo o elenco da live no palco. As aparições dos itens individuais masculinos e femininos foram surpreendentes em módulos alegóricos, lanças representativas de personagens emblemáticos do Boi de Rua do Caprichoso: o tuxaua Zeca Xibelão e o lamparineiro Lioca.

O Amo do Boi, Prince do Caprichoso, o tripa Alexandre Azevedo com o Boi Caprichoso, a Sinhazinha da Fazenda, Valentina Cid, a Rainha do Folclore, Cleise Simas, a Cunhã-Poranga, Marciele Albuquerque, e o Pajé, Erick Beltrão, que fez um clamor pelo fim do genocídio do povo Yanomami, mais uma vez atacado por garimpeiros recentemente, evoluíram com muita alegria ao som de toadas memoráveis do bumbá.

O apresentador Edmundo Oran regeu a apresentação com a percussão da Marujada de Guerra e da banda oficial com metais. Em participação especial, o Grupo Azul e Branco, representado pelo Rei, Marquinhos e Alexandre Azevedo, entoou pout-porri de toadas antológicas. O cantor e compositor Mailzon Mendes, do Grupo Canto da Mata, levou a nação azulada ao delírio ao interpretar a toada Eldorado de 1997 com direito a coreografia.

Corpo de Dança Caprichoso (CDC), Troup Caprichoso e grupo de bailado fizeram a cênica da apresentação dos momentos da live. Duas novas toadas do repertório do álbum: Terra: Nosso Corpo, Nosso Espírito – Volume 2, foram lançadas pelo levantador de toadas, Patrick Araújo. As obras são “Quem Vai Mandar é a Multidão”, do compositor Adriano Aguiar e Uendel Pinheiro, e “Dança do Norte”, de Adriano Aguiar, Arlindinho Cruz e Humberto Rodrigues.

Fotos: Pedro Coelho

-publicidade-