25.3 C
Manaus
terça-feira, fevereiro 27, 2024

Carnaval na Floresta: Escolas de samba do acesso B apostam na diversidade de temas nos desfiles do Sambódromo

Oito escolas de samba do grupo de acesso B desfilaram no Centro de Convenções Gilberto Mestrinho, Sambódromo, na quinta-feira (1º/02), apresentando seus sambas de enredo e disputando vaga para o grupo de acesso A, que desfila nesta sexta-feira (02/02). A programação deu início ao conjunto de ações que compõem o Carnaval na Floresta, promovido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, em parceria com os órgãos municipais.

Acompanhando a abertura dos trabalhos, o secretário executivo de Cultura e Economia Criativa, Candido Jeremias, aproveitou para reforçar a agenda carnavalesca do estado: “Nesta primeira noite de desfile, a gente aproveita para convidar a toda população amazonense a prestigiar o Carnaval na Floresta. Na sexta temos o grupo de acesso A e no sábado, o desfile das escolas do grupo especial. Em seguida, no Studio 5, temos os Esquentas do Carnaboi, nos dias 5, 6 e 7 e nos dias 9 e 10, o Carnaboi”, pontuou.  

Apresentações

Para cada escola do grupo de acesso B, o tempo de duração do desfile foi de 40 minutos. A primeira delas, o Grêmio Recreativo Escola de Samba Leões do Barão Açu, representante da zona norte (Novo Israel, Monte Sinai e Parque das Nações), entrou na avenida às 21h, com o enredo “Alegria e festa, é carnaval na floresta”. A agremiação fez um passeio pela riqueza cultural da Amazônia e a exuberância do carnaval.

Em seguida, a Grêmio Recreativo Escola de Samba Legião de Bambas, a “Cachorrão”, enalteceu a maternidade no tema “Mães do Brasil – a força, o amor e a magia que nos conduzem”. Fundada em 2004, a agremiação do bairro Colônia Terra Nova, celebrou as mães seus diversos estereótipos, até chegar à Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil.

Na ala dos amigos da Legião de Bambas, o juiz de direito Luiz Claudio Chaves, um dos fundadores da Banda do Boulevard, ressaltou a importância do incentivo às escolas do acesso. “Aqui no Amazonas, se não for o governo, não tem quem faça por essas escolas. Esse incentivo ao grupo de acesso é necessário para fomentar porque gera muitos empregos”, disse.

A Grêmio Recreativo Escola de Samba Gaviões do Parque foi a terceira a desfilar. A representante do Parque 10 enalteceu o enredo, “Carnaval é inclusão: das máscaras à avenida, vem brincar meu gavião”, levando para a avenida exemplos de diversidade e direitos iguais.  “A Gaviões é uma escola sem preconceitos e igualdade para todos, tanto que a Dalva Amorim é uma das raras mestra de bateria de Manaus”, comemora o presidente da escola, Natanael de Souza.

A Grêmio Recreativo Escola de Samba Meninos Levados, da Praça 14, foi a quarta escola a entrar no Sambódromo, tendo como tema ‘‘Dos primórdios à interatividade, a arte de comunicar’’. Em 2023, a escola ficou em segundo lugar no acesso B. “Eu tenho 20 anos de Meninos Levados e todo ano é uma grande emoção desfilar nessa avenida. Espero que a escola cresça até alcançar o grupo especial”, disse confiante Maria de Nazaré, 77, integrante da ala das baianas.

A quinta escola foi a Grêmio Recreativo Escola de Samba Império do Mauá, que levou para avenida o tema “Vou de branco e peço paz ao mundo”, abordando o simbolismo e o significado da cor branca, pedindo paz ao mundo.

Em homenagem ao Amazonas Futebol Clube, o Grêmio Recreativo Escola de Samba Ipixuna foi a sexta escola.  Com o samba de enredo “Chegou a hora da onça beber água”, a agremiação relembrou a conquista do time campeão da série C no ano passado. Milton Moreira Pinto, o “Xuxa”, membro da diretoria do Amazonas, ocupou o último carro alegórico e, emocionado, agradeceu a iniciativa. “O Amazonas foi criado para dar orgulho para o povo amazonense e quando você vê uma escola que demonstra isso, é neste estado que eu fico”. Ele ainda completou: “E a onça vai beber água e cutucar todo mundo”, disse sem esconder a empolgação. 

A penúltima da noite foi a Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos do Coophasa. “A sorte está lançada”, foi o tema defendido pela escola, que mergulhou no universo mágico dos jogos, transformando a passarela do samba em um imenso tabuleiro. Fundada há 48 anos, a Coophasa é a segunda agremiação mais antiga de Manaus, com sede na zona oeste de Manaus.

Encerrando o desfile, por volta das 3h da manhã, a Grêmio Recreativo Escola de Samba Mocidade Independente da Raiz defendeu o enredo “Soldado de guerra, forjado de coragem e amor, tenente coronel Lima Junior, o guardião da floresta, um amigo na alegria e na dor”. O homenageado da escola, devido o destaque na carreira militar, também teve revelado suas preferências pessoais, como o boi-bumbá Garantido.

Nesta sexta-feira (02/02), a partir das 21h, é a vez dos desfiles das nove escolas do grupo de acesso A, de acordo com a seguinte ordem: Unidos da Cidade Nova, Mocidade Independente do Coroado, Império do Havaí, Cidade Alta, Presidente Vargas, Sem Compromisso, Tradição Leste, Beija Flor do Norte e Primos da Ilha.

FOTOS: Marcely Gomes/Secretaria de Cultura e Economia Criativa

spot_img