29.3 C
Manaus
quarta-feira, fevereiro 21, 2024

Casos de dengue no Amazonas atingem quase 4 mil em janeiro, diz FVS

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP), vinculada à Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas, divulgou uma atualização significativa sobre a situação da dengue no estado. Conforme os dados publicados nesta quinta-feira (25/01), disponíveis no site da FVS-RCP, foram notificados 3.934 casos de dengue no Amazonas desde o início de janeiro deste ano, sem registro de óbitos relacionados à doença.

Os municípios com as maiores taxas de incidência são Lábrea, Guajará, Jutaí, Tefé, Envira, Alvarães, Carauari, Iranduba, Presidente Figueiredo, Manacapuru, Rio Preto da Eva, Manaus, Coari, Novo Airão e Boca do Acre. A cidade de Lábrea lidera com a maior taxa de incidência, seguida por Guajará e Jutaí.

Além disso, o informe epidemiológico inclui um panorama da situação da dengue na região do Alto Solimões, monitorada pelo Laboratório de Fronteiras (Lafron) da FVS-RCP. Situado em Tabatinga, o Lafron desempenha um papel crucial no controle da doença na região devido à sua localização estratégica na Tríplice Fronteira entre Brasil, Peru e Colômbia. Até a data do relatório, foram registrados 131 casos de dengue na região do Alto Solimões.

A FVS-RCP ressalta a importância do atendimento médico imediato em caso de suspeita de dengue. A dengue é uma doença infecciosa febril aguda, que pode variar de formas leves a graves, dependendo de diversos fatores, incluindo a cepa do vírus e condições individuais de saúde.

Para prevenir a dengue, a fundação enfatiza a necessidade de eliminar os focos de acúmulo de água, ambientes propícios para a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença. Entre as recomendações estão a realização semanal de uma verificação de 10 minutos em locais que possam acumular água, como garrafas, vasos de plantas e pneus.

spot_img