Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

Castração de cães e gatos é fundamental em política de bem-estar animal

Medida para controle populacional de animais domésticos faz parte de projeto da Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Amazonas em parceria com a Fundação Amazônia Sustentável

A castração cirúrgica traz inúmeros benefícios para a saúde dos animais domésticos, reduzindo a probabilidade de doenças como câncer de mama em fêmeas e problemas na próstata dos machos, por exemplo. Também é uma valiosa ferramenta para o controle populacional de cães e gatos. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a castração é o método mais eficiente e ético para lidar com o problema de ninhadas não desejadas, evitando uma série de problemas ambientais como o abandono de filhotes e aumento do número de animais domésticos nas ruas.

Foi pensando nessa realidade que o projeto “Apoio à Formulação, Implementação e Execução da Política Estadual do Bem-estar Animal e da Fauna Doméstica”, uma parceria da Fundação Amazônia Sustentável (FAS) com a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), definiu como uma de suas principais ações práticas a castração cirúrgica de cães e gatos. Para isso, adquiriu um ‘castramóvel’, uma unidade itinerante que fará o trabalho de esterilização desses animais. O veículo percorrerá bairros nos municípios de Manaus, Manacapuru e Novo Airão, onde realizará o atendimento veterinário.

A gestora do projeto na FAS, Camila Pires, adianta que terá a contratação de médicos veterinários para o trabalho no ‘castramóvel’ e que o público poderá se cadastrar de forma online para ter acesso ao serviço. Camila enfatiza, ainda, a importância da castração para a saúde dos animais, do ser humano e do meio-ambiente.

“Durante muito tempo, em todo o país, o problema da superpopulação de cães e gatos foi resolvido através da eliminação destas espécies. As ‘carrocinhas’ capturavam animais que se encontravam nas ruas e estes eram encaminhados para a eutanásia. Além de ser extremamente antiético, essa ação não resolvia o problema, pois, devido a ausência de políticas públicas eficientes e da dinâmica de reprodução destas espécies, as populações voltavam a aumentar com o decorrer do tempo. A OMS recomenda a castração cirúrgica, que é um processo que visa o bem-estar animal e de fato traz resultados a longo prazo para a comunidade”, explica a gestora.

Camila salienta que apenas castrar não basta, por isso, a ação vem acompanhada da educação da população sobre a guarda responsável de cães e gatos. “Não adianta sair castrando todos os animais se as pessoas não tiverem a consciência de que os seus animais não precisam se reproduzir e de que estes possuem uma série de necessidades, como a disponibilidade de água limpa e fresca, alimento de qualidade, vacinação, vermifugação, atenção, respeito e local adequado. Estamos falando das cinco liberdades do bem-estar animal”, diz.

O controle, manejo adequado e monitoramento da fauna doméstica contribui para evitar a possibilidade da transmissão de zoonoses, assim como o abandono de animais nas ruas, que em sua maioria passam fome, sofrem maus-tratos e podem causar acidentes no trânsito. Para a fauna silvestre, cães e gatos em vias públicas representam uma ameaça: “No Amazonas, a convivência com a fauna silvestre urbana é muito próxima. Cães e gatos sem supervisão podem predar passarinhos, gambás, lagartos e até morcegos, o que gera impactos negativos para a fauna silvestre e riscos para a saúde pública. Outro exemplo é o do sauim-de-coleira, primata ameaçado de extinção e que ocorre somente nos municípios de Manaus, Itacoatiara e Rio Preto da Eva. Cães podem ser predadores em potencial desses primatas ameaçados de extinção”, alerta Camila.

“Por essas razões, é extremamente importante a ação de castração, que pode contribuir para a conservação da fauna silvestre, preservar a saúde humana e o bem-estar dos animais domésticos envolvidos”, ressalta a gestora.

Doação de ração

Além da castração, outra atividade do projeto de bem-estar animal é a doação de ração a protetores e cuidadores de animais. No primeiro edital, a FAS e a Sema entregaram aproximadamente quatro toneladas de ração para 64 beneficiários. As inscrições para a segunda edição do processo seletivo para a doação de ração a protetores e cuidadores estão abertas e podem ser feitas até o dia 30 de abril por meio do link: abre.ai/editalracao2. Os participantes que foram aprovados no primeiro processo seletivo estão automaticamente inscritos neste novo edital.

Podem participar do processo seletivo para receber a doação de ração protetores e cuidadores residentes nos municípios de Manaus, Novo Airão, Manacapuru, na Área de Proteção Ambiental (APA) do Rio Negro e nas Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Rio Negro e Puranga Conquista.

Sobre o projeto

A Formulação, Implementação e Execução da Política Estadual do Bem-Estar Animal e da Fauna Doméstica é uma iniciativa da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema). A Fundação Amazônia Sustentável (FAS) apoia essa política pública que é destinatária das emendas parlamentares nº 025/2020, nº 026/2020, nº 040/2020 e nº 041/2020 dos deputados estaduais Joana Darc (PL) e Saullo Vianna (PTB). O projeto tem como objetivos (i) o levantamento do contexto regional do bem-estar animal e da fauna doméstica no Amazonas, (ii) o apoio na elaboração da Política Estadual e (iii) a implementação de ações práticas desta política pública no estado.

“Os castramóveis são uma iniciativa nossa, fomentada com emendas parlamentares do meu mandato e que assim que nós conseguirmos todas as liberações o primeiro já vai entrar em funcionamento e castrar gratuitamente os animais dos bairros mais carentes de Manaus, dos municípios do interior e nas reservas de desenvolvimento sustentável. A criação desse projeto demandou muito tempo e não foi nada fácil, principalmente porque não havia uma política pública e nós tivemos que começar do zero. Mas hoje, estamos começando a transformar todas as nossas promessas em realidade”, destaca a deputada Joana Darc.

Foto: Divulgação

-publicidade-