Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

-publicidade-

Centro de Detenção Provisória Feminino reforça segurança com primeiro canil

O Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF), localizado no Km 08 da BR-174 (Manaus-Boa Vista), está reforçando a segurança da unidade com a construção do seu primeiro canil. Os trabalhos estão sendo executados por reeducandos do programa “Trabalhando a Liberdade”, idealizado pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

A princípio, quatro baias e uma casa de ração e pertences estão sendo levantadas pela mão de obra de 12 internos do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), que são levados diariamente para auxiliar nos trabalhos da cadeia feminina.

Eles desenvolvem serviços de carpintaria, alvenaria, emboço, pintura, hidráulica e elétrica. Os trabalhos tiveram início no dia 15 de fevereiro e devem ser finalizados até meados de abril, aproximadamente. Ainda durante o período de construção do canil, agentes de ressocialização iniciarão cursos de capacitação para monitores da guarda canina.

O coordenador do Sistema Penitenciário (Cosipe), major Renan Carvalho, explica a função e importância da presença dos cães nas unidades prisionais. “O cão é uma ferramenta de segurança que utilizamos nas unidades. Ele acompanha as movimentações diárias, auxilia na proteção do agente e do interno. O emprego é diversificado como escolta, guarda, faro de entorpecentes e busca e captura”.

O reforço na segurança das cadeias públicas do Amazonas com a utilização de cães treinados é uma exigência contratual da Seap com as empresas cogestoras. Para tanto, a cogestora Reviver Administração Prisional Privada confirma esse compromisso subsidiando todo o material necessário para a construção e manutenção de mais um canil dentro do sistema carcerário.

Outras obras – Os reeducandos também estão construindo no CDPF uma nova central de acesso à unidade e um vestiário para os funcionários. Esses internos adquiriram todo o conhecimento para os trabalhos intra e extramuros do ambiente prisional por meio dos cursos de capacitação e profissionalização que a Seap vem oferecendo, junto com diversas parcerias, como ferramenta de ressocialização e reintegração à sociedade.

FOTO: Divulgação/Seap

-publicidade-